24 outubro 2014 Comente! Postado por:

Amor, Coisas dele »

…para contar!

casalcompras

Uma roupa nova, aquela mesmo que você viu enquanto estava de passagem por algum lugar e acabou parando para comprar. Uma nova música, aquela mesmo que você achou no youtube porque alguém mandou algum link e você clicou de forma despretenciosa, mas que de certa forma era o que você precisava para passar por uma tarde complicada. Um novo site, que você descobriu a pouco tempo mas que já existe a algum tempo, e que passa a ser o seu favorito numa sexta-feira qualquer.

Um amor. Um novo amor, mesmo que seja com aquela pessoa que você já conhece, está junto e já tem certeza de que ama e não viverá nessa vida sem estar ao seu lado. Mas que, por algum motivo, está dando errado, você não está sendo compreendido e nem está entendendo, que parece não estar mais dando certo.

Hora de parar!

Mudanças existem para que nós possamos seguir adiante, ir além de onde estamos, não ficarmos parados no tempo. Qualquer mudança é complicada, difícil, por termos a tendência de ficar acomodados com a nossa situação. Mudanças são boas, nem sempre claro, mas no geral são feitas para que possamos evoluir, melhorar. Mudanças nos obrigam a pensar, a resolver problemas que não tínhamos antes, a sermos mais fortes do que nunca e termos mais garra do que jamais tivemos.

Você pode mudar de atitude ao invés de mudar de amor. Você pode mudar seu jeito ao invés de mudar o seu amor. Você pode se adaptar, ceder e pressionar para que as coisas passem a dar certo. Você pode refletir, mudar e melhorar para que aquele amor volte a colocar fogo no seu coração e encha seu estômago de borboletas. Você pode suar frio novamente pelo mesmo amor, desde que mude para melhorar.

Seja melhor. Veja melhor, sinta melhor, ouça melhor e seja melhor.

Se tudo está difícil agora, se nada mais faz sentido e se você está duvidando muito do rumo das coisas, pare e pense: Você poderia estar fazendo melhor? Você poderia ser melhor? Você é melhor? Entâo seja. Você pode não estar mas sabe que no fundo você é. Então seja!

Todo o resto é dispensável.

Comente!      Postado por Rafael R
23 outubro 2014 Comente! Postado por:

Geral »

Por: Romenique Zedeck

São Paulo, Vinte e dois de Outubro de Dois Mil e Quatorze

Nesse momento estou jantando com um amigo. Entre um papo e outro ele me pergunta como anda meu coração.
E ao pensar em você eu sorrio e digo que estou apaixonado pela mulher mais apaixonante que existe.

Começo lhe contando teu nome, tua profissão, teu jeito. É estranho me dar conta como te conheço tão bem em uns pontos, mas não em outros: Qual sua cor favorita? Lugares favoritos? Filmes?

Se bem que agora não importa pois sei que terei tempo suficiente para descobrir.

Digo a esse meu amigo como me dei conta que você é a pessoa certa: 33% amiga, 33% companheira, 33% amante.

Ele me indaga sobre o 1% faltante, assim como você me perguntou naquele dia que caminhávamos rumo ao seu ponto de ônibus. A resposta é a mesma: 1% é amor, na sua verdadeira forma, que desequilibra a balança. que pesa mais que todos os outros 99% da nossa compatibilidade.

Penso sobre o que falar, quais palavras certas: estou levemente bêbado falando um misto de alemão e inglês. Decido contar como nos conhecemos e me dou conta como nossa história é maneira. Certamente nossos filhos e netos ouvirão sobre nossa balada.

Meu coração palpita com a chegada de um ponto da história: Quando te roubei o primeiro beijo naquele karaoke. Ainda sinto o mesmo frio no peito quando penso em te roubar um novo beijo. Pois ainda não me acostumei com a ideia de que posso te beijar livremente. E sinceramente? Acho que sentirei esse frio sempre.

Primeiro Beijo
O frio na barriga que antecede o primeiro beijo

Termino mostrando uma foto tua. Uma foto tua que eu adoro, que traduz toda sua beleza. Que mostra seu sorriso e justifica meu amor. Concordamos que você é linda e ele entende o que meu olhar ja dizia a noite toda.

Que eu te amo.

Comente!      Postado por Ele / Ela
20 outubro 2014 Comente! Postado por:

Coisas dele, Passeios »

Cada casal tem sua própria versão do final de semana. Que tal viajarmos por algumas delas?

finaldesemanacasal

Tem casais que gostam de viajar. Quase tudo é motivo para sair de sua cidade natal, pegar a estrada e chegar a algum destino. As vezes cidades diferentes a cada km rodado, as vezes o mesmo destino acolhedor de sempre. Conhecer o novo ou rever aquelas pequenas particularidades de um local já conhecido e querido, o que os motiva provavelmente é a sensação de ficarem juntos o tempo todo, estejam onde estiverem. E quem vai julgá-los mal por isso? Afinal de contas, quem de nós não gostaria de poder fugir da realidade, mesmo que apenas por dois dias, e viver um pouco daquela sensação de liberdade?

Outros casais preferem viajar em seus próprios sofás. A rotina já desgastante de nossa vida moderna cobra muito, em quase todos os aspectos. Seja pelo lado psicológico da coisa ou pelo lado físico mesmo, as rotinas de algumas pessoas são controladas por relógios e patrões, pressões e pelo próprio tempo e no final de semana a fuga tem como destino aquele sofá confortável, para momentos onde podem desligar suas mentes e viver e ver histórias de outras personagens através da tela da TV ou do notebook. Séries, filmes e shows podem ser vistos no conforto do próprio lar e, certamente, todos nós conhecemos a boa sensação que isso traz.

Existe alguns casos onde os casais precisam também viajar, mas pelos cabos da realidade virtual. A distância impõe uma rotina diferente para eles, que apenas podem se curtir através das ondas da web. Skype, whatsapp e todas as modernidades que nos permitem a comunicação a longa distância são as ferramentas para alguns casais ficarem “juntos” por um tempo durante os dois dias dedicados ao descanso a cada semana. Fotos, vídeos e músicas fazem parte deste cotidiano, onde somente a força de vontade e a esperança de que dias melhores e mais próximos virão podem levar adiante seus sonhos e fazer com que seus planos tornem-se realidade.

No fim, cada um acaba encontrando sua própria forma de curtir um final de semana a dois. Desde os mais românticos, que se preocupam com cada um dos detalhes de um dia específico até aqueles mais avoados, que são contentes apenas por estar em contato com aqueles que amam, o mundo lhe dá ferramentas para que os dias isolados sejam cada vez mais raros. Hoje todos podem se divertir e ficar juntos daqueles que amam de alguma forma bem particular e você também pode agradecer por vivermos em um novo tempo. Afinal de contas, encontrar alguém que você passa a amar é só uma pequena parte dessa nossa vida.

Porém, a única sensação que todos temos que dividir nesse momento é única e serve para todos: Por que, afinal, o final de semana tem que acabar? Não dá pra ter um dia a mais desse aconchego e paz, ao lado daquela pessoa que amamos tanto? A vida, amigos, é bem complicada as vezes.

Vamos lá para mais uma semana!

Comente!      Postado por Rafael R
17 outubro 2014 Comente! Postado por:

Histórias »

Por: Romenique Zedeck

Ao acordar o meu primeiro pensamento foi “hoje eu te verei”. O segundo foi que eu odeio acordar cedo. São seis da manhã e o meu primeiro pensamento foi para você.

Entre meu banho e o café já planejei cada detalhe do dia pra te ver. Que horas sair de casa, como gerir meu tempo no trabalho, o caminho até você e para onde iríamos. Qual perfume, qual roupa, qual penteado. Eu sei que nada vai sair como planejado, mas ainda assim a segurança do plano é reconfortante.

O dia passa devagar e falo um pouco contigo. Não quero demonstrar que estou ansioso, não quero demonstrar nenhuma fraqueza. Sei que não se importa com isso, afinal já nos conhecemos bem demais, mas eu quero ser perfeito pra você, por você. Essa é minha janela e não hei de perdê-la. Não novamente.

Está chegando o momento, é hora de te ver.

Mais uma vez eu planejo o que fazer. Te beijo como aquele marinheiro e a enfermeira no fim da segunda guerra? Devo ser formal? Ou te trato como se não existisse nada entre nós? Fico nessa espiral por tanto tempo que não vejo as pessoas passarem por mim.

Abandono toda lógica e procuro por presságios de como será nosso encontro. Não vejo nenhum corvo o que é um alivio. Rio de mim mesmo, um riso nervoso. Não sei quanto tempo te esperei, apenas 15 minutos ou 3 anos. Ou a minha vida toda?

expectativa1

Nesse ínterim você avisa que está descendo. Me sinto bobo, desajeitado, desajustado, com dois pés esquerdos. O que eu faço? Qual o plano mesmo?

Te avisto.

Não tem plano soldado, o improviso é uma arte, e o holofote do espetáculo está em mim.

Cada passo teu demora, e eu fito toda graça que é você. Me afundo em cada detalhe teu. Começo a respirar em manual. Não posso esquecer de abrir a porta do carro pra você. Meu Deus como você é linda.

_ Oi!

Você me abraça e eu sinto todos os sentimentos ao mesmo tempo. E a cada abraço teu, eu sofro um mini ataque cardiaco.

É… nada aconteceu como planejado, mas ainda assim foi perfeito.

carlton

PS1: Abacaxi = mamão. Piada interna
PS2: Enquanto escrevia tudo isso, toca la no fundo I wish you were here.

Comente!      Postado por Ele / Ela
16 outubro 2014 Comente! Postado por:

Coisas dele, Histórias »

Eu sabia que seria o último. Calma, deixa eu melhorar isso um pouco.

Eu sabia que seria nosso último café da manhã juntos pelas próximas semanas. Eu já fui dormir pensando naquele momento. Eu acordei pensando nisso. Eu sabia que tinha que ter feito mais, talvez algo mais romântico, mas eu estava preso naquela sensação. Seria, de fato, uma última oportunidade para algo tão gostoso quanto acordar perto de quem se ama e fazer uma refeição decente para começar muito bem o dia.

trakinascafe
Trakinas? Sim. Suco de laranja? Ok.

Quem vê de fora talvez não entenda a importância disso em nossas vidas. Eu nunca fui um cara de café da manhã. Por anos, antes de sair de casa cedo para trabalhar, raramente eu parei na cozinha, sentei na mesa e comi decentemente como deveria. Eu sou realmente um cara do almoço, que espera com paciência o relógio apitar as 12 para correr para uma mesa e resolver os problemas da vida com um garfo e faca na mão.

A vida, com suas intermináveis ironias, separou pra mim uma pequena mulher que não era tanto de almoço. Para ela, desde sempre, o café da manhã era a parte importante do dia. Toda aquela rotina de montar a mesa, ainda dormindo ou com sono extremo, para logo depois se reunir com aqueles familiares queridos era uma grande parte do seu dia, um indício de que o dia seria grandioso. E eu, com o passar do tempo, acabei me dando conta de que aquilo era realmente uma coisa boa. Um bom hábito, que eu deveria cultivar também, se possível.

Naquele dia, em especial, eu queria ter feito mais. Aquela sensação de que eu deveria ter me aplicado mais e me preparado mais chegou a tomar conta de mim, por algum tempo. Hoje penso que tudo ocorreu da forma que deveria, que estávamos acostumados. Uma coisa simples, apenas nós dois, coisas que fazem parte de nossa vida… e, irônicamente, nesse dia eu fiquei sem almoçar. Isso revela muito sobre o significado real daquela parte do começo do dia que dividimos pela última vez.

Calma, isso também não é uma despedida. Eu terei a chance, talvez até muito em breve, de estar com ela novamente. E talvez eu não consiga passar dessa forma simples a importância que esse pequeno momento teve na minha vida. Mas amigos, quando você descobre que é com aquela mulher que você quer dividir todos os cafés da manhã do restante da sua vida, pode ter certeza de uma coisa: o último café sempre será simples demais, na sua cabeça. Pois lá você fez planos, grandes preparações e, no fundo, sabe que nada disso importa muito para ela. Estar com você em seus primeiros momentos acordada será o suficiente.

E pra mim… bom, pra mim não tem nada que me faria mais feliz do que isso. Não tem nada que me fará mais feliz do que isso.

Related Posts with Thumbnails
Comente!      Postado por Rafael R