30 agosto 2012 1 Comentário Postado por:

Amor, Coisas dele, Crônicas, Relacionamento »

O que é ser feliz pra você? O que você quer para seu futuro? Casar, ter filhos, uma bela casa, viajar? Você já namora há um tempo e nunca parou pra conversar sobre isso com seu namorado/namorada? Será que ele/ela tem os mesmos objetivos que você? Ou os seus e os dele/dela são completamente diferentes?

Já parou pra pensar nisso? Se sim, ótimo! Está no caminho certo. Agora, se não pararam pra planejar objetivamente o futuro de vocês dois, não adie essa conversa. Vocês podem estar vivendo um amor que não terá um final tão feliz assim. E não adianta me dizer que vocês sempre falam dos nomes dos filhos, a cor da casa, etc. Quando o namoro toma um patamar mais sério, é necessário uma conversa mais adulta, mais objetiva e decisória. Talvez os planos fossem os mesmos no passado, mas já não sejam mais.

Vejo que em tempos modernos os casais vão vivendo tipo “deixa a vida me levar”. Mal planejam o final de semana, quanto mais os próximos quarenta anos. O mundo é fascinante, há muita informação no dia-a-dia, muita gente nova entrando em nossa vida, a agenda muda constantemente e o jantar que teríamos daqui a meia hora teve de ser cancelado pois surgiu um imprevisto no trabalho. E lá se foi nosso planejamento de termos um jantar romântico. Sei que hoje é difícil seguir à risca um plano de vida, mas rascunhos e listas devem ser feitas. Aliás, sempre ouvi dizerem pra fazermos listas de objetivos de nossa vida. Escreva dez e busque-os. Se realizou um, risque-o e coloque um novo no lugar.

Seus objetivos não precisam ser exatamente os mesmos que o dele/dela. Aliás, não devem! Você é um ser humano com pensamentos totalmente diferentes de qualquer outro em todo o mundo. Porém, há objetivos em comum que devem ser os mesmos e, se não forem, algo está errado entre vocês. É melhor repensar esse namoro e não deixar que a vida de vocês chegue a um ponto em que cada um quer seguir um caminho diferente, pois é aí que a coisa complica. Então, por que empurrar esse problema lá pra frente se ele pode ser resolvido agora? Nem que essa resolução seja um término de namoro. Mas você prefere seguir, mesmo sabendo que não dará certo, ou prefere ser feliz com pessoas que tenham os mesmos objetivos que você?

É triste, muito triste, perder quem você ama. Mas quando os pensamentos em comum se perdem, é preciso dar um tempo para os dois e, se esses pensamentos vão se reencontrar lá na frente, novamente, só Deus sabe. E se voltar, realmente era pra ser seu. Não desista de seus sonhos e de seu amor.

Nada como uma boa conversa.

Seja feliz.

1 Comentário      Postado por Diego Fávero
29 agosto 2012 1 Comentário Postado por:

Coisas dele, Relacionamento »

Por mais de uma vez eu fui visto como alguém que realmente entende de relacionamentos. Costumo responder dúvidas por e-mail e conversar sobre o assunto em diversos lugares. A ironia disso tudo é que quando surgem meus próprios problemas, eu fico sem saber como lidar. E acabei eventualmente descobrindo que não adianta ter muita “experiência” em relacionamentos pois cada um será único. E isso é ótimo!

Mapeamento da cama
Na internet, até mesmo um Gordo Nerd pode ser especialista em relacionamentos!

Os problemas que enfrentamos dependem bastante da época em que vivemos, quem está ao nosso lado e de outros fatores únicos. E se por um lado conseguimos achar solução para os problemas dos outros, nem sempre é fácil encontrar algo que nos ajude quando mais precisamos dessa luz. Aquilo de que “quem vê um relacionamento de fora consegue ver melhor” na maioria das vezes se torna algo certo e real. Mas é claro que é possível contornar tudo isso, caso seja o que você precise fazer agora.

Entre tudo o que aprendi estando em relacionamentos, o que eu mais recomendo – e faço isso sempre que eu posso – é que você consiga ouvir seu parceiro. Não adianta escutar, não adianta discutir a relação, é preciso realmente usar toda a sua empatia para conseguir entender o porque daquela determinada reclamação ou briga para poder efetivamente resolver o problema.

Seus amigos não são os culpados por ela brigar com você. As músicas que você ouve não são o grande problema. Nem mesmo aquelas frases infelizes que você solta as vezes, sem querer, são o que está causando todo o mal estar entre vocês. É preciso escavar mais fundo para conseguir entender o que realmente está atrapalhando e descobrir como você poderá fazer isso sumir e melhorar, se chegar na raiz da questão. Mas, é claro, não existe mágica nesse processo. Você vai precisar se esforçar, conhecer cada dia um pouco mais quem está ao seu lado e só então vai conseguir começar a enxergar a vida com os olhos do outro.

Calma, não estou pedindo pra você descobrir tudo sobre seu par e começar a tomar atitudes baseadas unicamente nisso. Mas a partir do momento que você entende as motivações, valores e sentimentos de quem está ao seu lado, você começa a destacar um pouco mais tudo aquilo que sabe que fará bem a ele/ela. Conhecer melhor para poder ser melhor para alguém, esse é o caminho a seguir.

Portanto, não tenha pressa. As coisas vão acontecer levando o tempo certo para isso. Não ache que por ter feito alguém feliz fazendo algo você precisa necessariamente repetir os passos. Não pense que será fácil chegar no final, pois o meio é o que realmente importa e te levará aonde você quiser ir. Um dia de cada vez, um conhecimento de cada vez e pronto, é tudo o que você precisa. Nem que você erre no meio, isso certamente acontecerá. Mas o que importa é ter a paciência e a sabedoria de se colocar no lugar do outro e buscar o melhor caminho para seguirem juntos.

Tente fazer isso e você chegará lá, eu prometo.

Quer participar do Diário de Casal e dividir a sua história com o mundo inteiro? Saiba como participar e não deixe para depois!

1 Comentário      Postado por Rafael R
28 agosto 2012 4 Comentários Postado por:

Amor, Artigos, Relacionamento »

Relacionamentos engordam. OK, OK, em sua maioria. Digo isso porque, afinal, sou parte de um. Eu, que desde a infância fui aquele tipo barrigudinho, que mesmo magricela parecia um pote de biscoitos caseiros quando vestia uma saia rodada, só vou acumulando quilinhos ano após ano ao lado do digníssimo.

Queria eu ter a ciência de saber o porquê deste fenômeno. Tenho lá minhas teorias, que dividirei aqui, mas ainda espero que alguém me dê provas dos reais motivos pra gente ganhar aquela barriguinha caprichada e os bracinhos de tia merendeira depois de assumir uma vida conjugal. E não me venham falar de comodismo e cuecas furadas.

Suspeita número um: programas de casais são, com a ironia da palavra, mais light. Se quando solteiros, costumávamos sair pra bebericar, jogar uma sinuca, e até dançar, agora uma boa noitada inclui sair prum belo jantar (romântico ou não), pedir uma pizza, refestelar o digníssimo com todos os quitutes que você aprendeu a fazer só pra provar que é uma mulher boa de fogão. Solteiros e sua vida desregrada com cheiro de cigarro e caipiroskas de balada dão lugar a casais que se juntam para fazer um fondue, ou aproveitam o fim de semana pra testar as novas receitas do Jamie Oliver. Solteiros gostam de destilados; casais, de fermentados. E fermento, né…

Mais uma hipótese – que não é o meu caso, porque eu era uma sedentária magra – é a de que, depois de arrumar um cobertor de orelha, geral deixa o sedentarismo invadir sua vida, já que não precisa mais cultivar um corpinho atraente pra ganhar ninguém. Mas e pra quem já era sedentário? De repente liga um botão de acumular gorduras e açúcares e criar costas lisinhas como as de um leitão? Sem contar nos exercícios zegzuais praticados frequentemente.

Junte a todos os jantares italianos, bolos de chocolate, domingos regados às novas descobertas culinárias, o fator idade – já que cada vez com mais frequência as pessoas só querem se comprometer quando já estão com um pé nos trinta e o metabolismo já não funciona como antes – e talvez possa ter uma explicação melhor pro efeito estufa na barriga.

Mas ainda prefiro crer na teoria de uma amiga que diz “felicidade engorda”. Ser feliz te faz engordar porque te livra de várias coisas que emagrecem – paixonite, noites em claro, amores platônicos e vida de poeta. Quando você deixa de ter preocupações com a paixão, quando finalmente consegue alguém que te traz paz de espírito, que não te faz sofrer muito, você relaxa. E relaxar, engorda. Se esse é o preço da felicidade, eu quero sair rolando.

4 Comentários      Postado por Rose Carreiro
24 agosto 2012 2 Comentários Postado por:

Amigos, Crônicas »

* Conto fictício baseado em relatos de amigos e amigas que já vivenciaram algo do tipo

Agora já foi, né? Que tolo que fui, como não pensei que aquela viagem mudaria o rumo de nossas vidas? Era pra ser uma simples viagem, algo que poderia mudar minha postura profissional, coisas que acrescentariam pro nosso futuro. Juntos.

Seis meses foram eternos e a cada dia que eu estava do outro lado do mundo, a saudade e o afastamento entre nós dois caminhavam lado a lado. Em certos momentos, não sabia o que eu estava fazendo ali. Dava vontade de pegar o primeiro avião e correr pros seus braços. Mas a gente se falava por Skype e a saudade amenizava a dor. Conheci muita gente, saí, bebi e traí. Acordei no dia seguinte me sentindo um lixo. Como eu pude fazer aquilo com você que era fiel, amiga, companheira mesmo do outro lado do oceano. Eram apenas seis meses. Seis meses que separavam nossos corpos. Mas fui fraco, falhei. E falhei mais algumas vezes até que as falhas viraram rotinas e eu já nem te ligava mais. Mentia pra você e pra mim.

Eu queria poder mudar, mas agora já foi. Gostaria de recomeçar aquilo tudo em que sonhávamos e planejávamos. Um apê com três quartos, duas filhas e um casamento pra 300 pessoas. Lua de mel no Caribe. Aquilo tudo que eu perdi a cada dia que eu passei por lá. Embora não pareça, eu sempre estarei aqui pra te ajudar, pra te ouvir reclamar das coisas bobas que nos faziam mais apaixonados, antes de eu viajar.

Deixa eu fazer diferente?

Será que eu mereço uma segunda chance? Eu quis saber como era a vista de um lugar “melhor” sem você.

Descobri que não é fácil controlar as tentações. O mundo é muito doido. As oportunidades de escolhas são diárias e intensas. Pensei só em mim, em curtir o meu momento. Egoísta, eu sei, mas eu ainda te amo.

Estou em suas mãos, você sabe. Mas descarto a possibilidade de te esquecer.

2 Comentários      Postado por Diego Fávero
23 agosto 2012 1 Comentário Postado por:

Rapidinhas »

A partir de hoje, comentaremos algumas notícias nesse espaço e você pode ajudar. Envie links e matérias do que você viu por ai e achou bacana, comentaremos e daremos o crédito a você.

Pedido de casamento numa cabine de fotos

Esse foi legal: O namorado preparou tudo para que na hora das fotos daquelas máquinas a namorada tivesse uma surpresa e tanto. E pela última foto desta sequência, a coisa funcionou.

reação de pedido de casamento

“These are the pictures from when we got engaged. I have no idea in frames one and two and am really confused in frame three (lets never make that face again!) and really surprised in frame four.”

“Estas são as fotos do nosso noivado. Eu não fazia ideia nos frames 1 e 2 e fiquei bastante confusa no 3 (nunca mais farei aquela cara novamente!) e estou surpresa no frame 4.”

Visto em angelaandithyle

10 coisas que eu odeio em você, o poema.

Acho que melhor do que explicar é dar o play aqui embaixo.

Dica da Caju.

Envie aquela notícia que você encontrou, um vídeo curioso ou uma imagem divertida sobre relacionamentos para nós. Para saber como fazer isso, entre em contato conosco. Daremos os créditos a você por isso.

Related Posts with Thumbnails
1 Comentário      Postado por Rafael R