4 junho 2012 1 Comentário Postado por:

Coisas dela, Histórias »

Por: Jaqueline

Meu amor sabe que há pouco tempo atrás éramos apenas melhores amigos, confidentes e irmãos, compartilhávamos das mesmas risadas, as mesmas piadas dos mesmos eventos e outras mil coisas a mais, durante sete anos de amizade. Mas a nossa realidade hoje é outra, nos encontramos e nos amamos dentro das possibilidades desse amor proibido, tenso, nervoso, complicado e anulado. Nosso status atual entre o nosso coração é relacionamento sério, mas entre a razão é solteiros. O que podemos fazer?

Razão ou coração? Essa decisão precisa ser tomada pelo os dois, confesso que o medo de serem escolhas diferentes toma conta do meu dia. Você chegou a me dizer que o amor que sinto e transmito em palavras pra você é utopia, será que é? Você o sente como utopia? O sentimento que você diz ter por mim também se encaixa no quadro da utopia? O medo de me perder? O medo que eu tenho e te perder? Ou será que isso tudo se resume em uma grande confusão de sentimentos? Amigos ou namorados?

Pode ligar

Você disse que está confuso, seu coração precisa de mim, e sua cabeça pede para que você fique sozinho, te entendo perfeitamente, afinal sair de um relacionamento de cinco anos, e em poucos meses após o termino entrar em outro, torna qualquer um confuso. Porém essa decisão é necessária, você precisa decidir. Eu sou a favor de dar uma arma para o seu coração, ele saberá muito bem o que fazer com a razão, confia. Quanto a mim eu sei que o meu sentimento por você não é utopia, e sim pura realidade. Sinto-o todos os dias, ele me incomoda me entende me deixa feliz, me alivia e me sufoca por não ter você perto de mim. Provar e mostrar são duas coisas fáceis mediante a minha vontade, basta você deixar.

Então meu amor faça como sempre fez me escuta, me entende ouça os meus conselhos. FICA COMIGO!

“A gente é assim temos tantas coisas em comum, você tem parte em mim e pra você não sou mais uma…”

Vamos ter muitos problemas (muita coisa) como todos os relacionamentos, você só precisa saber se a minha presença é necessária em seu dia, assim como a necessidade que você tem de estar só. Somos um casal imperfeito.

Então é isso, gostaria de expressar o quanto eu te amo, como é um amor sem medidas, decidi torná-lo publico. Seria melhor um carro de som, mas você ia me matar. (calma é brincadeira)

Ps.: Te amo!

1 Comentário      Postado por Ele / Ela
31 maio 2012 15 Comentários Postado por:

Publicidade »

Sabemos que o Dia dos Namorados está chegando e você já deve estar pensando no que vai dar para o seu par. E por isso vamos dar uma força pra você, sorteando um kit bem bacana da Lindt. Interessou?

Kit Lindt Dia dos Namorados

Vamos facilitar. Tudo o que você precisa fazer é:

1. Curtir a fanpage do Diário de Casal

2. Seguir o @diariodecasal e mandar no Twitter: “Quero o kit da Lindt que o @diariodecasal está sorteando http://kingo.to/16Dv #DiarioDeCasal

3. Torcer!

O resultado sai na próxima quarta-feira, dia 6 de junho. O vencedor deverá estar seguindo o Diário de Casal no Twitter além de ter curtido a fanpage, se não vai perder. O sorteio será feito através do Sorteie.me e colocarei o print screen aqui. O kit contém 1 Leiteira com chocolates Lindor Lindt, 1 Latinha de coração chocolates Lindor Lindt, 1 Pack de Lindor Dark e 1 Pack de Lindor Assorted. E quem vencer vai poder deixar seu par feliz por ganhar algo tão gostoso. x)

Fechado? Agora é com você! Boa sorte a todos!

CONCURSO ENCERRADO!

Depois do sorteio e de confirmar os requisitos, temos um vencedor. Confira abaixo:

sorteio lindt

Parabéns, Luz del Fuego. Faturou e vai receber em casa um kit gostoso! Envie seus endereço para participe@diariodecasal.com.br e em breve você vai receber aí na sua casa. E obrigado a todos que participaram!

15 Comentários      Postado por Rafael R
28 maio 2012 3 Comentários Postado por:

Histórias »

Para um pedido de casamento ser postado no Youtube, sabemos que ele precisa quase que obrigatoriamente dar certo. E foi o que aconteceu dessa vez, claro.

Pedido de casamento #win

Este pedido teve direito a pessoas dançando na rua, um carro como condução enquanto tudo se desenrolava e mais um monte de detalhes que provavelmente só quem conhece o casal vai entender. Tudo começou quando o nosso herói convidou a mocinha para ir a casa da família dele. Lá chegando, o irmão dele pediu que ela se sentasse no porta-malas do carro – que estava aberto – para que ele mostrasse “uma música nova”.

Então…

Valeu a pena o esforço ou não?

3 Comentários      Postado por Rafael R
21 maio 2012 10 Comentários Postado por:

Coisas dela, Histórias »

Por: Priscilla

O amor no início é inexplicável, as coisas parecem que precisam acontecer daquela forma para tudo se encaixar. E não adianta não querer. O destino dá um jeito de acontecer. É pra ser!

Três anos, três meses e três dias JUNTOS. E coloco “JUNTOS” em caixa alta mesmo, porque desde o primeiro dia, estamos JUNTOS de verdade. E nunca houve dúvidas. Ele estava no meu caminho, e eu? Eu estava no dele há muitas outras vidas atrás. Nos conhecemos em situações completamente desfavoráveis ao amor. Se naquele dia me contassem que teríamos uma história juntos, eu cairia na gargalhada. Éramos diferentes. Somos diferentes. Mas algo nos une. E une com tanta força e persistência… Que é difícil explicar.

Amor cura

No primeiro ano de namoro, é perfeitamente possível dizer que só brigamos uma vez. Estranho? Não sei. Mas foi perfeito! Hoje, com mais de três anos, todas as brigas que tivemos compensaram o primeiro ano sem. Poderíamos ter evitado? CLARO, sempre podemos evitar. Porém, se não tivéssemos brigado todas as vezes, não teríamos a certeza que temos hoje, de amor inabalável. Amor esse que já suportou muito. Amor esse, que ainda há de suportar mais.

Basta ser amor.

Problemas? Sim, nós temos. E muitos! Por mais que a gente queira, não podemos nos enganar. Ele me faz bem, mas ao mesmo tempo me arranca lágrimas. Eu sei isso não faz sentido, mas é assim que acontece. E sejamos sinceros, NENHUM relacionamento é perfeito. Há seus momentos de crise. Quem namora e não os viveu, prepare-se, vai viver. Porque se não viver, o relacionamento não vai durar. Se eu posso viver sem ele? Sim, eu posso! Mas não quero abrir mão de alguém que cuida de mim quando preciso, alguém que me mostra com atitudes todos os dias o enorme amor que sente, que me tira os melhores sorrisos e me proporciona os melhores momentos. Então, eu posso sim seguir sem ele. Confesso, seria dificílimo, porém, não impossível. Mas a necessidade de manter a felicidade atual é maior do que qualquer coisa. Pois é, isso se chama AMOR.

O amor? Amor é não querer se desligar nunca da presença. É sentir saudade todos os dias, inventar assunto pra não ter que desligar o telefone. É dividir o edredom e planejar o futuro debaixo dele. É cuidar quando estiver doente, sentir falta na hora de dormir. Sentir medo, ciúme, ser cúmplice, ter coragem. Amor é saber esperar. É não saber explicar. É dar gargalhadas, provocar, fazer pirraça, chantagem. É agradar. Não ter medidas. Amor é não cansar, ser forte e superar. É ter alguém, uma fonte, uma base, um amigo, uma força.

Se estivermos juntos no futuro ou não, ele sempre será minha imortalidade. Com ele vivi e aprendi tanto que hoje percebo o porquê de não conseguir ser o que era antes de conhecê-lo. Eu não sou mais a mesma pessoa. Eu mudei, e isso vai me acompanhar pra sempre.

O futuro? Eu consigo ver nossas manhãs de inverno. Passaremos todo o tempo embaixo do edredom, lá tem todos os nossos sonhos. Ele não irá cozinhar, eu muito menos. Então vamos pedir comida pelo telefone, claro que não vamos querer sair do quentinho. Quem iria? Reclamaremos com a atendente para não demorar demais, e pedir para ela caprichar na batata frita. Ficaremos com nossos travesseiros beijos e abraços, assistindo todos os tipos de filmes. Nas quartas-feiras e aos domingos vamos assistir aos jogos, acompanhar os campeonatos, mesmo que seja só pra secar o outro time. Eu gostaria de me enganar e dizer que nossas discussões só irão se basear em quem ama mais. Mas não, seria ilusão. Elas vão ser tristes e desgastantes, mas e o amor inabalável, lembra? Com certeza ele vai dar um jeito nisso. No futuro, além de tudo, vejo ele e eu juntos. E isso… Isso já basta!

Em um livro, que agora não lembro o nome, eu li:
- E eu me pergunto: Será que é amor o que nós temos?
E sem titubear ele respondeu:
- Se eu tivesse sequer uma dúvida que não fosse AMOR, eu já teria desistido de nós.

E a minha missão eu digo: É amá-lo ainda mais, é amá-lo mais do que posso até o fim, porque ele é meu vicio, mas também é a minha cura. ∞

10 Comentários      Postado por Ele / Ela
8 maio 2012 5 Comentários Postado por:

Coisas dela, Histórias »

Por: Daiana*

Meu nome é Daiana*, e namorei durante 2 anos o Rafael. Terminei recentemente, há uns dois meses. O nosso namoro foi sempre muito intenso e muito confuso pra dizer a verdade. Não moramos na mesma cidade, porém as duas cidades são muito proximas, então nos víamos todo final de semana. Namoramos por duas vezes, a primeira logo depois dele terminar com a ex-namorada, porém durou pouco tempo, uns dois meses, e ele acabou voltando com ela. Essa volta também durou pouco tempo, e nós passamos a não nos falar mais depois que eles voltaram.

Nesse meio tempo eu comecei minha faculdade, e conheci um cara muito legal, o Guilherme, que faz o mesmo curso que eu, porém alguns períodos a frente. Acho mesmo que ele é a melhor pessoa que eu já conheci na vida, não sei como explicar. É simpático, atencioso, carinhoso, mas sempre teve fama de mulherengo. Fui me reaproximando do Rafael e começamos a ficar novamente, mas nada sério. Porém eu viajei com alguns amigos pra um congresso e o Guilherme foi junto, acabamos ficando, mas também não foi pra frente.

Quando voltei acabei reatando o namoro com o Rafael e durou dois anos e acabei me afastando do Gui, mas o via diariamente na faculdade. Eu sempre tive certeza dos meus sentimentos, sempre soube que o amava, mas o nosso relacionamento acabou ficando pesado demais nos ultimos tempos. Muitas brigas, ciume exagerado da parte dele, ele não interagia com os meus amigos daqui, não fazia nem questão disso, e eu fui ficando cada vez mais cansada disso.

Chegamos a terminar no final do ano passado, mas acabei voltando. Quando voltamos, comecei a perceber que foi mais por insistencia, ou talvez pq eu não queria me sentir sozinha ou carente, mas amor de verdade eu tinha certeza que nao existia. Há um bom tempo, quando ainda estava namorando, me reaproximei do Gui, mas de uma forma amigável, não rolou nada. Fomos ficando cada vez mais próximos e a amizade foi se tornando pra mim algo maior.

Dois amores
Sabem como é…?

Enquanto estava confusa sobre o que sentia pelos dois eu não me decidia, continuava empurrando meu namoro com a barriga, até que um dia, durante uma conversa com a minha mãe, que com certeza é a minha melhor amiga, eu em prantos consegui enxergar realmente o que sentia: estava perdidamente encantada, pra nao dizer apaixonada, por uma pessoa que não era meu namorado. Só de estar ao lado do Gui eu já me sentia bem, me sentia feliz, o que não acontecia com o Rafael, pois eu já tava cansada das cobranças, das cenas de ciumes e tudo mais. E esse sentimento ja estava afetando toda a minha vida, eu já não era mais a mesma pessoa brincalhona e bem humorada que eu sempre fui. Nesse mesmo dia terminei meu namoro e até então estou aqui, solteira, não fiquei com mais ninguém.

Ele ainda insistiu varias vezes pra voltar, mas dessa vez eu estava muito certa, não ia recomeçar algo que eu sabia que não ia dar certo, ele não merecia ser enganado desse jeito. E o Gui sempre ali, presente no meu dia-a-dia, na minha vida. Ele começou a se insinuar pra mim, mas sempre de uma forma de brincadeira.Bom, pelo menos eu interpretava como brincadeira. E isso foi ficando cada vez mais frequente, todos os dias. Ele dizia que o divertido disso tudo era me deixar sem graça, eu ficava vermelha, sem graça, não conseguia olhar nos olhos dele, e é claro que ele reparava. Não sei o que acontece comigo, acho que eu realmente não confio no meu taco. Morrendo de amores pelo cara e não faço nada… mas agora esses tipos de brincadeiras diminuiram e eu sinto que estou perdendo meu espaço.

Por mais carinhoso que ele continue sendo comigo, eu sinto que já não é a mesma coisa. Acho que pelo que sei dele, pela fama de “galinha” eu tenho medo de me entregar e sofrer. Criei uma blindagem que está me atrapalhando muito e não sei o que fazer pra acabar com isso. Sei que eu posso reverter essa situação, mas me falta coragem, ousadia talvez. O que eu faço? Me ajudem!

Quer participar do Diário de Casal e compartilhar as suas dúvidas para que alguém possa te ajudar? Saiba como participar e não deixe para depois!

Related Posts with Thumbnails
5 Comentários      Postado por Ele / Ela