17 março 2012 17 Comentários Postado por:

Amor, Relacionamento »

Esse post pode não servir pra você, pois você namora, mas vejo por aí muita gente “nova” reclamando dessa situação. Porém com certeza você passou pela fase da “aborrecência” e que a maioria dos pais dão “aquela segurada” nos filhos (principalmente na filha) e meio que proíbem qualquer relcionamento amoroso.

adolescentes

Hoje o amor chega muito cedo. Ou melhor, não é nem amor; como eu li em alguns lugares, isso é “paixonite”. Como pode alguém de 13, 14, 15 anos conhecer um garoto e dizer “eu amo ele, ele me ama e queremos namorar”? Bom, vamos com calma. Muita calma. Amor é outra coisa. Ninguém ama um outro alguém assim tão rápido. Não mesmo! Você vai ver, lá na frente que aquilo no passado foi uma “paixonite”. Você não é a única/único a sentir isso. Todos nós passamos por isso e quem não passou, vai passar.

Sabe aquele garoto em que sempre que você encontra com ele pelo corredor do colégio seu coração bate mais forte? E aquela garota que você fica mudo sempre que ela passa na sua frente? Tem certeza que isso é amor? Aí aparece uma festinha e vocês se encontram; conversam meia dúzia de palavras e PUM! O que você mais queria na vida aconteceu: beijou; o coração foi a mil; as pernas ficaram bambas e você não vê a hora de contar pros amigos isso tudo. No dia seguinte tenha muita calma, você ainda não ama ele! Você está apaixonada, entenda isso! (sei que é difícil rs)

E onde entra meus pais nessa história?

Pois é, essa é a parte complicada disso tudo. Seus pais, que te acompanham desde seu nascimento, estão olhando pra você como a “criança que está crescendo” e, grande maioria não vai aceitar que você chegue e fale “estou namorando, ele é o homem da minha vida e eu amo muito ele”. Se for algum garoto do colégio, da mesma idade que você, comemore! A chance deles aceitarem esse namoro é muito maior, mas, se o garoto for mais velho que você, e eles não saberem de onde ele vem, o que ele faz e quais as intenções dele com você, se prepare: você terá muitas brigas em casa.

E eles não fazem isso por mal, muito pelo contrário. Eles querem te proteger. O mundo é uma coisa louca, há muita gente boa assim como há muitas ruins. E o maior medo dos seus pais é você engravidar e/ou pegar alguma doença. Portanto, cuidado. MUITO CUIDADO com que vocês vão fazer. Não se entregue tão cedo, você vai ter MUITO tempo pra isso. Aproveite essa fase para curtir também suas amigas, sua família, seu lazer e, não deixe tudo isso para trás por causa de um “amor”. Ele pode fazer parte disso tudo e seus pais não querem ser deixados de lado por que você agora fala que “ama”. Tente ser sincera, não minta que vai na amiga só pra sair com ele. Fale a verdade, mostre que você cresceu, que você está sendo sincera e já tem uma certa maturidade e responsabilidade, em cima da educação que eles deram à você e, hoje você cresceu; não é mais a menininha que brincava de boneca (ou o homem que empinava pipa e brincava de carrinho com os amigos). Com o tempo seus pais vão ganhando confiança e vão aceitar seu namoro. Reforço: cuidado com a gravidez! Quantas e quantas garotas nessa idade confiam demais no cara, transam sem camisinha, acreditam nele que não vai dar em nada e acabam “estragando” sua adolescência por um descuido.

Tenha como prioridades na sua vida primeiro seus pais, depois seus estudos, seus amigos e por último seu “namoro”. Essa fase você vai descobrir muitas coisas e, amanhã pode ser que você conheça outros garotos muito mais legais e volte a se apaixonar por algum deles. Aproveite tudo isso e não se prenda pelo primeiro que aparecer pela frente.

A sua mãe não é uma chata e nem te odeia. Ela faz essa sua segurança por amor; porque ela não quer perder a filha dela por um “louco”. Lembra do caso “Eloá” em que o namorado matou a ex-namorada por amor? Sabe quantos anos ela tinha? Pois é … seus pais também tem medo disso. Acredite nas palavras e experiência que seus pais passam pra você afinal de contas, um dia você será pai/mãe e tambpem vai querer proteger seus filhos. Eles fazem isso para seu bem e por amor.

Namorar na adolescência é bom, faz você ganhar maturidade, aprender a não acreditar em palavras e sim em atos e ganhar experiência para seus próximos “namoros”. Você ainda tem muito tempo pra decidir com quem vai querer se casar, ter filhos e prepare-se: você ainda vai chorar e sofrer por muitas paixonites. Mas tudo isso passa e logo você vai falar que ama outro, novamente.

Envie a sua história para o Diário de Casal e junte-se a muitos que compartilharam com o mundo. Saiba como participar e não fique de fora!

17 Comentários      Postado por Diego Fávero
16 março 2012 11 Comentários Postado por:

Coisas dela, Histórias »

Por: Karine Lopes

Sabe aquela noite em que você está tão cansado da própria depressão que decide que não quer ficar mais triste? Então, foi numa noite assim… Uma noite como todas as outras: trabalho, trabalho, descanso, mais trabalho. E depois FESTA! Aquela festa que você passa o dia todo falando que não vai, pois não têm animo. Até que uma hora você decide que vai, só de raiva.

Sim, raiva. Você sente raiva da sua própria tristeza. Mas você descobre que, ao menos por uma noite, você pode apertar o botão de ‘desligo’ e acabar com a dor. E foi isso que eu fiz…

Liguei a música mais animada, no volume mais alto. Tomei banho e me arrumei super alegre, como se aquela fosse a melhor noite da minha vida. E então minha melhor amiga chega, me questionando como eu posso ter mudado de humor tão rápido. Eu falo pra ela sobre o botão de ligo/desligo e, gargalhando, ficamos lindas e vamos para a festa!

Tudo está como o normal: nossos amigos já estão lá, com a bebida na mão e dançando as mesmas musicas de todas as festas. Então, fazemos aquela roda enorme de amigos e vamos dançando ao centro, de duplinhas. Um amigo me puxa para dançar, e como sempre dançamos super animados. Ele sai e eu continuo no centro, sozinha. Até que outro amigo vem dançar comigo.

casaisbalada
Enquanto o corpo dança, a mente voa e o coração se abre…

Não era a primeira vez que dançávamos juntos, mas dessa vez tinha algo diferente. Ao me pegar pela cintura e se aproximar, meu coração acelerou de um modo estranho. Sem saber ao certo o que estava acontecendo, achei melhor me afastar e fui buscar outra bebida, me distrair.

Não deu cinco minutos e eu estava de volta a pista de dança. E um minuto depois, estávamos dançando juntos novamente, cada vez mais perto. Quanto mais eu tentava me distanciar dele, mais eu queria que ele viesse dançar comigo. E então, teve aquele momento… quando você não quer mais lutar contra, e se entrega. E ali foi a melhor dança da noite! Nós dois juntinhos, dançando como se não houvesse mais ninguém no bar…

Mas como nem tudo é pra sempre, a festa acabou. E ele não saiu do meu lado hora nenhuma, até eu chegar em casa. Já na minha porta, me roubou um beijo de tchau. Mas nenhum dos dois queria ir embora ainda. Conversamos noite adentro. Confesso que ele conversou, e eu ouvi cada história que ele me contou aquela noite, com a maior atenção. E dentre papos e amassos, eu quase adormecia na cama enquanto ele, sentado, tagarelava sem parar.

- Você pode dormir aqui comigo, se quiser.

- Não me convida duas vezes
Ele disse.

- Você pode dormir aqui comigo, se quiser.
Eu repeti.

E daquela noite em diante, a tristeza não teve mais espaço. E eu nunca mais precisei convidá-lo para ficar…

Quer dividir a sua história com o mundo inteiro? No Diário de Casal você pode. Saiba como participar e não deixe para depois.

11 Comentários      Postado por Ele / Ela
14 março 2012 1 Comentário Postado por:

Coisas dele, Relacionamento »

Dias atrás recebi um email confuso, mas que consegui entender onde queria chegar. Segundo relato da leitora, o namorado dela preferia fazer birra com tudo ao invés de conversar. Mas a coisa era crônica, mesmo, ao ponto de ele ter a capacidade de fazer bico, fechar a cara e ir embora sem dizer nada. Horas depois, estava tudo bem e ele voltava a ser o que era. Mas nunca chegava a dizer o que o incomodava tanto, a ponto de ele tratar ela mal. Sério, que tipo de namoro acontece dessa forma?

birra
Birra: Depois de certa idade, fica feio!

Ficam aqui algumas dicas para você, que enfrenta isso no seu relacionamento e para você, que se comporta assim sem ter mais idade para fazer isso:

1. Conversas sinceras SEMPRE serão melhores que fazer qualquer birra: Num relacionamento, a conversa é fundamental. Eu sempre digo isso, sempre mesmo, mas parece não ser o suficiente ainda. Se tem algo te incomodando no seu parceiro, converse com ele. Se tem alguma coisa que você não gosta que ele/a faça, diga. Ao contrário do que parece, as pessoas ainda não têm a capacidade de ler mentes. Então dificilmente ele/a vai adivinhar o que está rolando, se você não disser nada.

2. Você não é obrigado a aceitar tudo, tampouco precisa fazer o que tiver vontade: Limites, eles existem. No começo de um relacionamento, existe uma disputa inconsciente para estabelecê-los e saber até onde um vai e o outro vem. Depois disso, não existe mais motivos para não conseguir entender o seu parceiro. Pare pra pensar e me diga: Em algum momento do seu relacionamento, você não excedeu algum limite? Fez alguma brincadeira infeliz? Falou ou fez algo que seu parceiro desaprova totalmente? Então, mas sempre que isso se repete, você se frustra um pouco. E se não conseguiu fazer o parceiro entender ainda que aquilo é ruim pra você, mesmo conversando e insistindo, é mlehor tomar mais cuidado.

3. As pessoas não conseguem ler mentes, ainda: Disse isso mas vale reforçar. Nem sempre dá pra saber o motivo que seu parceiro ficou irritado ou o motivo que te fez ficar de bico. E essa dica vale muito para as mulheres, com suas birrinhas eternas. Vale a pena conversar com alguém sobre isso? Sempre. Mas não vale a pena conversar com quem te deixou assim, explicar e mostrar um erro simples e bobo, talvez? Conversem. Conversem. Conversem.

Isso é um começo. Claro que não existem regrinhas de relacionamento e as pessoas costumam se entender de formas diferentes. A única coisa em comum em qualquer relacionamento é que é muito mais fácil quando ambos sabem o que o outro pensa. Quando você consegue entender certas atitudes e as motivações delas, as coisas ficam mais fáceis de serem digeridas. Não adianta ficar perto e magoar o outro, mesmo que de forma incidental e sem esperar por isso. Isso só desgasta as coisas e é desnecessário.

Chega de bico! Chega de birra! Vocês não têm mais idade pra isso, ok? Fica o recado. :)

Quer participar do Diário de Casal e compartilhar as suas idéias, histórias e lições com o mundo inteiro? Saiba como participar e não deixe para depois!

1 Comentário      Postado por Rafael R
13 março 2012 2 Comentários Postado por:

Coisas dela, Histórias »

Por: Rita Tescke

Eu sou uma pessoa que observa muito tudo e todos, os comportamentos humanos sempre me deixam intrigada. E mais do que tudo isso, eu sou maluca de pedra e sempre tive uma curiosidade imensa em saber o que as pessoas sentem em determinados momentos da sua vida. Uma delas é o relacionamento, eu sempre fui maluca em saber o que meus parceiros sentiam, e nunca tive medo de perguntar (só nunca sei colocar as palavras certinhas).

Mas uma coisa que sempre me deixou meio maluquinha: As pessoas se queixam de seus parceiros, sem ao menos saber o porquê ela está se queixando daquele defeito. Isso é a tão falada falta de dialogo.

casal_alegre
Casais sorriem mais quando não falta diálogo, aponta estudo! :p

Eu fui aprender que isso é importantíssimo quando realmente achei a pessoa que amava, sou mimada (isso é fato) e achava sempre que minhas manhas e meu silêncio rancoroso iriam mudar ele. Ledo engano, ele sempre tinha uma maneira suave de me fazer perceber que aquilo era errado, e sempre conversava, me fazia mostrar o que eu sentia. Só que paciência tem limite e uma hora ele cansou de ensinar a aprendiz.

Jurei a mim mesma que nunca mais ficaria quieta diante de uma relação caso eu realmente gostasse da pessoa. Eu não posso mensurar o tamanho da falta que esta pessoa me faz.

Esta coisa chamada dialogo nos relacionamento é a prova maior de que existe amor de verdade entres as partes. Isso é que faz o todo fluir. E por mais que isso seja algo que se conquiste com experiência, você sempre tem a oportunidade de consertar um erro com as palavras certas.

Você já sofreu com a falta de diálogo? Conseguiu mudar o rumo das coisas com ele? Já entende a importância disso? Deixe nos comentários as suas opiniões sobre isso.

2 Comentários      Postado por Ele / Ela
11 março 2012 1 Comentário Postado por:

Amor, Relacionamento »

Não sei se é só comigo, mas tenho notado uma certa banalização na hora dos relacionamentos. As pessoas não querem estar sozinhas mas também não sabem o que querem. E então, o que elas fazem? Começam um namoro, desconfiam, brigam, sentem ciúmes, ficam nervosas, sofrem e terminam. Aí começam um novo e tudo começa, exatamente igual. O “eu te amo”, o “quero ficar pra sempre contigo” e o “isso vai durar pra sempre” continua sendo usado, mas o pra sempre dura cada dia menos. Como lidar?

por-do-sol
Quero ter essa visão ao seu lado até o fim da minha vida… ou o fim do nosso amor!

Vivemos num mundo onde as pessoas não têm tempo pra pensar. Entre tantos trabalhos, afazeres e baladinhas imperdíveis, não sobra tempo pra refletir, pensar na sua vida, descobrir-se e saber do que você gosta de verdade. Então vivemos correndo de um lado para o outro, entrando e saindo da vida das pessoas e essa é a nossa rotina. Não sobra tempo pra mais nada.

E sempre que eu penso nisso eu fico me perguntando: Como as pessoas conseguem viver, sem procurar evoluir, sem entender seus sentimentos, desejos e vontades? Como é possível ser feliz sem saber sequer se aquele azul na nossa parede é algo que nos faz bem? Como estar bem num relacionamento se não sabemos o que NÓS, enquanto “um” da equação, não sabemos o que o queremos ser quando crescermos?

Claro, existem diversas exceções. No geral as pessoas são conscientes de seus mundos e de suas escolhas, sabem que cada passo dado num certo rumo levará a um certo lugar e que aqueles planos que fazemos com alguém são o que nos fará feliz amanhã, mas tem muita gente perdida nesse meio, tentando e errando, errando mais um pouco, insistindo no erro e se perguntando depois no Twitter “Onde estará o amor?”, sem ter uma resposta para uma questão muito mais simples: Onde está a alegria dentro de mim?

Dentro disso, ainda existem aqueles que já estão num relacionamento com alguém. São namoros cheios de problemas, ciúmes, infelicidade… e a lista vai longe, se for ver bem. Sabe por que nada do que a outra pessoa faz te agrada? Até sabe, talvez, mas por que você continua nisso se você não é feliz assim? Qual o sentido de estar com alguém que você não suporta, alguém que faz coisas que você não gosta e que não te fazem bem? Porque ficamos presos em relacionamentos que já terminaram, sendo que podemos procurar a nossa alegria dentro de nós, antes?

Posso dar uma dica que, a princípio, iria até contra a proposta desse blog? Termine seu namoro, agora. Ciúmes demais? Termine. Briga todos os dias, sem solução? Termine. Você não é mais feliz? Termine. E digo isso pensando em duas coisas, que farão da sua vida algo melhor:

1. Você precisa saber o que VOCÊ quer antes de começar algo com alguém. A felicidade, assim como a frustração, estão dentro de você. Só você pode ser responsável pela sua alegria, assim como pela sua tristeza. Dói gostar muito e sofrer? Dói, mas garanto que melhora se você sair dessa situação e tentar procurar algo melhor.

2. Você precisa estar com alguém que esteja indo pro mesmo lugar que você. Não tem outro jeito de um relacionamento crescer, vocês precisam ir para o mesmo lugar. Se um quer algo e o outro não, vai ter problema. Mais hora ou menos hora, isso vai acabar magoando um de vocês. E dá pra evitar isso. Só depende de você. E pode apostar, tem alguém que adoraria ir para o mesmo lugar que você em algum lugar por aí, cabe a você sair pra procurar a pessoa certa no momento certo.

O que importa, afinal, é buscar a sua felicidade. É estar com aquela pessoa que você quer bem, que vai fazer a sua alegria se multiplicar, que fará com que as suas frustrações não existam mais. O amanhã é só uma ideia, claro, o hoje é o que temos. E sendo assim, porque deixar pra uma ideia apenas algo que você pode começar a fazer agora, que é a hora de pensar nisso? Vá atrás do que te faz bem, com quem esteja preparado pra te acompanhar. E boa sorte nessa viagem.

Existe um lugar com um por-do-sol bem bonito, que pode ser admirado por você e por alguém que te faça bem. Vá buscar isso agora.

Related Posts with Thumbnails
1 Comentário      Postado por Rafael R