21 maio 2012 10 Comentários Postado por:

Coisas dela, Histórias »

Por: Priscilla

O amor no início é inexplicável, as coisas parecem que precisam acontecer daquela forma para tudo se encaixar. E não adianta não querer. O destino dá um jeito de acontecer. É pra ser!

Três anos, três meses e três dias JUNTOS. E coloco “JUNTOS” em caixa alta mesmo, porque desde o primeiro dia, estamos JUNTOS de verdade. E nunca houve dúvidas. Ele estava no meu caminho, e eu? Eu estava no dele há muitas outras vidas atrás. Nos conhecemos em situações completamente desfavoráveis ao amor. Se naquele dia me contassem que teríamos uma história juntos, eu cairia na gargalhada. Éramos diferentes. Somos diferentes. Mas algo nos une. E une com tanta força e persistência… Que é difícil explicar.

Amor cura

No primeiro ano de namoro, é perfeitamente possível dizer que só brigamos uma vez. Estranho? Não sei. Mas foi perfeito! Hoje, com mais de três anos, todas as brigas que tivemos compensaram o primeiro ano sem. Poderíamos ter evitado? CLARO, sempre podemos evitar. Porém, se não tivéssemos brigado todas as vezes, não teríamos a certeza que temos hoje, de amor inabalável. Amor esse que já suportou muito. Amor esse, que ainda há de suportar mais.

Basta ser amor.

Problemas? Sim, nós temos. E muitos! Por mais que a gente queira, não podemos nos enganar. Ele me faz bem, mas ao mesmo tempo me arranca lágrimas. Eu sei isso não faz sentido, mas é assim que acontece. E sejamos sinceros, NENHUM relacionamento é perfeito. Há seus momentos de crise. Quem namora e não os viveu, prepare-se, vai viver. Porque se não viver, o relacionamento não vai durar. Se eu posso viver sem ele? Sim, eu posso! Mas não quero abrir mão de alguém que cuida de mim quando preciso, alguém que me mostra com atitudes todos os dias o enorme amor que sente, que me tira os melhores sorrisos e me proporciona os melhores momentos. Então, eu posso sim seguir sem ele. Confesso, seria dificílimo, porém, não impossível. Mas a necessidade de manter a felicidade atual é maior do que qualquer coisa. Pois é, isso se chama AMOR.

O amor? Amor é não querer se desligar nunca da presença. É sentir saudade todos os dias, inventar assunto pra não ter que desligar o telefone. É dividir o edredom e planejar o futuro debaixo dele. É cuidar quando estiver doente, sentir falta na hora de dormir. Sentir medo, ciúme, ser cúmplice, ter coragem. Amor é saber esperar. É não saber explicar. É dar gargalhadas, provocar, fazer pirraça, chantagem. É agradar. Não ter medidas. Amor é não cansar, ser forte e superar. É ter alguém, uma fonte, uma base, um amigo, uma força.

Se estivermos juntos no futuro ou não, ele sempre será minha imortalidade. Com ele vivi e aprendi tanto que hoje percebo o porquê de não conseguir ser o que era antes de conhecê-lo. Eu não sou mais a mesma pessoa. Eu mudei, e isso vai me acompanhar pra sempre.

O futuro? Eu consigo ver nossas manhãs de inverno. Passaremos todo o tempo embaixo do edredom, lá tem todos os nossos sonhos. Ele não irá cozinhar, eu muito menos. Então vamos pedir comida pelo telefone, claro que não vamos querer sair do quentinho. Quem iria? Reclamaremos com a atendente para não demorar demais, e pedir para ela caprichar na batata frita. Ficaremos com nossos travesseiros beijos e abraços, assistindo todos os tipos de filmes. Nas quartas-feiras e aos domingos vamos assistir aos jogos, acompanhar os campeonatos, mesmo que seja só pra secar o outro time. Eu gostaria de me enganar e dizer que nossas discussões só irão se basear em quem ama mais. Mas não, seria ilusão. Elas vão ser tristes e desgastantes, mas e o amor inabalável, lembra? Com certeza ele vai dar um jeito nisso. No futuro, além de tudo, vejo ele e eu juntos. E isso… Isso já basta!

Em um livro, que agora não lembro o nome, eu li:
– E eu me pergunto: Será que é amor o que nós temos?
E sem titubear ele respondeu:
– Se eu tivesse sequer uma dúvida que não fosse AMOR, eu já teria desistido de nós.

E a minha missão eu digo: É amá-lo ainda mais, é amá-lo mais do que posso até o fim, porque ele é meu vicio, mas também é a minha cura. ∞

10 Comentários      Postado por Ele / Ela
8 maio 2012 5 Comentários Postado por:

Coisas dela, Histórias »

Por: Daiana*

Meu nome é Daiana*, e namorei durante 2 anos o Rafael. Terminei recentemente, há uns dois meses. O nosso namoro foi sempre muito intenso e muito confuso pra dizer a verdade. Não moramos na mesma cidade, porém as duas cidades são muito proximas, então nos víamos todo final de semana. Namoramos por duas vezes, a primeira logo depois dele terminar com a ex-namorada, porém durou pouco tempo, uns dois meses, e ele acabou voltando com ela. Essa volta também durou pouco tempo, e nós passamos a não nos falar mais depois que eles voltaram.

Nesse meio tempo eu comecei minha faculdade, e conheci um cara muito legal, o Guilherme, que faz o mesmo curso que eu, porém alguns períodos a frente. Acho mesmo que ele é a melhor pessoa que eu já conheci na vida, não sei como explicar. É simpático, atencioso, carinhoso, mas sempre teve fama de mulherengo. Fui me reaproximando do Rafael e começamos a ficar novamente, mas nada sério. Porém eu viajei com alguns amigos pra um congresso e o Guilherme foi junto, acabamos ficando, mas também não foi pra frente.

Quando voltei acabei reatando o namoro com o Rafael e durou dois anos e acabei me afastando do Gui, mas o via diariamente na faculdade. Eu sempre tive certeza dos meus sentimentos, sempre soube que o amava, mas o nosso relacionamento acabou ficando pesado demais nos ultimos tempos. Muitas brigas, ciume exagerado da parte dele, ele não interagia com os meus amigos daqui, não fazia nem questão disso, e eu fui ficando cada vez mais cansada disso.

Chegamos a terminar no final do ano passado, mas acabei voltando. Quando voltamos, comecei a perceber que foi mais por insistencia, ou talvez pq eu não queria me sentir sozinha ou carente, mas amor de verdade eu tinha certeza que nao existia. Há um bom tempo, quando ainda estava namorando, me reaproximei do Gui, mas de uma forma amigável, não rolou nada. Fomos ficando cada vez mais próximos e a amizade foi se tornando pra mim algo maior.

Dois amores
Sabem como é…?

Enquanto estava confusa sobre o que sentia pelos dois eu não me decidia, continuava empurrando meu namoro com a barriga, até que um dia, durante uma conversa com a minha mãe, que com certeza é a minha melhor amiga, eu em prantos consegui enxergar realmente o que sentia: estava perdidamente encantada, pra nao dizer apaixonada, por uma pessoa que não era meu namorado. Só de estar ao lado do Gui eu já me sentia bem, me sentia feliz, o que não acontecia com o Rafael, pois eu já tava cansada das cobranças, das cenas de ciumes e tudo mais. E esse sentimento ja estava afetando toda a minha vida, eu já não era mais a mesma pessoa brincalhona e bem humorada que eu sempre fui. Nesse mesmo dia terminei meu namoro e até então estou aqui, solteira, não fiquei com mais ninguém.

Ele ainda insistiu varias vezes pra voltar, mas dessa vez eu estava muito certa, não ia recomeçar algo que eu sabia que não ia dar certo, ele não merecia ser enganado desse jeito. E o Gui sempre ali, presente no meu dia-a-dia, na minha vida. Ele começou a se insinuar pra mim, mas sempre de uma forma de brincadeira.Bom, pelo menos eu interpretava como brincadeira. E isso foi ficando cada vez mais frequente, todos os dias. Ele dizia que o divertido disso tudo era me deixar sem graça, eu ficava vermelha, sem graça, não conseguia olhar nos olhos dele, e é claro que ele reparava. Não sei o que acontece comigo, acho que eu realmente não confio no meu taco. Morrendo de amores pelo cara e não faço nada… mas agora esses tipos de brincadeiras diminuiram e eu sinto que estou perdendo meu espaço.

Por mais carinhoso que ele continue sendo comigo, eu sinto que já não é a mesma coisa. Acho que pelo que sei dele, pela fama de “galinha” eu tenho medo de me entregar e sofrer. Criei uma blindagem que está me atrapalhando muito e não sei o que fazer pra acabar com isso. Sei que eu posso reverter essa situação, mas me falta coragem, ousadia talvez. O que eu faço? Me ajudem!

Quer participar do Diário de Casal e compartilhar as suas dúvidas para que alguém possa te ajudar? Saiba como participar e não deixe para depois!

5 Comentários      Postado por Ele / Ela
4 maio 2012 3 Comentários Postado por:

Amor, Surpresa »

Hoje você tem uma nova chance: Hoje é um dia especial e você vai fazer algo especial para quem está ao seu lado!

jantar-romantico
Você pode fazer algo assim, mas pode fazer diferente também!

Vamos combinar, não existe ninguém mais importante que a pessoa que está ao seu lado hoje. Na correria do dia a dia, a gente acaba esquecendo um pouco de valorizar e principalmente de demonstrar isso. Mas não hoje, hoje será diferente. Você tem tempo de armar algo para a noite de hoje e eu vou te ajudar nessa missão romântica.

Que tal um jantar diferente? Pode ser num restaurante, pode ser na sua casa, não importa tanto o lugar. Desde que, claro, seja algum lugar especial por algum motivo. Quem sabe disso é você, então pense direitinho. Que tipo de jantar agradaria o seu par? Um hotdog no lugar onde vocês saíram pela primeira vez? Um jantar mais chique, num restaurante mais requintado? Um jantar na sua casa, onde você vai para a cozinha e prepara algo por conta própria? Me diga você.

Nessas ocasiões, um presente pode cair bem também. Talvez não dê tempo de sair para comprar um, e nesse caso é compreensível. Então por que você não faz algo diferente e compra online, enviando para ela o número de rastreamento dos correios para ela esperar ansiosa pela surpresa? Possível? Ou, quem sabe, conseguir tempo para ir comprar algo que seu par queira muito. Vamos lá, você já pegou as dicas do que pode agradar e fará o possível para conseguir ir na loja ou lugar que vende. Ta sem grana? Que tal você mesmo produzir um presente, com as suas próprias mãos? Pode ser um texto, um poema, uma música, fotos ou o que for. Desde que seja algo que vá agradar, valerá a pena.

E, que tal, você também preparar um pequeno discurso para dizer tudo o que pensa? Ok, pode ser que você não seja essa pessoa que sempre consegue expressar o que sente e pensa, mas hoje você fará um esforço. Está com dificuldades nesse quesito? Que tal se você procurar letras de músicas que chegam perto de onde você quer ir e montar uma playlist especial? Ou, quem sabe, procurar por alguns poemas e mensagens que digam exatamente o que você quer falar? Aí fica mais fácil, né? Então, tire pelo menos uns 30 minutos do teu dia nessa caçada. Você sabe que valerá a pena.

Bom, a sua chance é hoje! Faça alguma coisa diferente, mostre que valoriza a pessoa ao seu lado e mais do que isso, prove com algumas atitudes simples. Eu sei, as vezes a gente esquece de fazer isso e de ver aquele sorriso feliz e o brilho no olhar de quem a gente tanto ama, mas hoje é o dia de mudar. Quem sabe com o tempo isso não vire um hábito e as coisas melhorem muito para vocês. Só depende de você, hoje, fazer algo simples e honesto.

É com você, agora. Volte aqui depois para contar o que rolou e, se quiser, mostre esse texto para seu par. Se eu conseguir inspirar pelo menos 1 casal com isso, minha missão estará cumprida.

3 Comentários      Postado por Rafael R
29 abril 2012 Comente! Postado por:

Coisas dele, Relacionamento, Sexo »

Namoro há dois anos e meio e sempre tivemos uma vida sexual ativa. Porém, nos últimos 4 meses meu namorado não tem me procurado mais, e quando eu o procuro, ele sempre arranja uma desculpa. Ele confessou que está incomodado com esta situação e que vai dar um jeito de fazer atividade física para ter disposição para o sexo. Uma das desculpas é que está sempre cansado. No início era um sonho, em qualquer lugar, era só ter vontade e pronto. Agora, tem várias restrições: não gosta mais de fazer sexo oral, não gosta mais de ir para motel, só pode ser na casa dele. Ele tem 37 anos e eu 30. Não sei mais o que fazer, por favor, me ajudem!

Olá leitora insatisfeita, que chato isso estar acontecendo tão cedo em seu relacionamento. O sexo entre o casal é um ótimo “termômetro” do relacionamento, indicando o quanto vocês estão bem, salvo, nesses casos, obviamente, em caso de problemas de saúde.

Existem problemas fisiológicos que levam à perda de desejo sexual no homem e, por consequência, podem chegar a casos de disfunção erétil. Nesses casos, apenas a busca por um bom médico para ajudar. Esse é o tipo de caso em que o apoio da parceira é muito importante. É cobrado dos homens desde criança serem viris e fortes. Ter um problema de saúde que acarrete “fracasso” nessa área é certamente motivo de vergonha e será preciso muita paciência da sua parte e principalmente um diálogo honesto. Não pressione para ele falar, mas toque no assunto com calma e delicadeza.

Você diz que ele já assumiu que existe um problema e está na hora de começar a buscar uma solução. Além de atividades físicas, como academia, atividades a dois como aulas de natação e dança de salão aproximam o casal e são ótimas para a saúde. E se a saúde vai bem, o sexo geralmente melhora.

Dicas como procurar um motel, ou sex-shop para quebrar a rotina são válidas, mas, no entanto, às vezes equivocadas. O desejo sexual que deveria levar à quebra de rotina e à criatividade para experimentar novas situações, e não o contrário.

Qualquer relação prolongada está sujeita a cair em uma rotina. O excesso de proximidade e intimidade leva a uma rotina e a uma “segurança” que estimula a inércia do relacionamento. Uma exposição demasiada do corpo, ou maus hábitos de convivência podem levar a uma falta do prazer da conquista, da sedução, e por consequência a uma perda do desejo. Às vezes, quanto mais íntimos, mais distantes ficam os casais.

Um bom relacionamento precisa de uma dose de individualidade. Fazer tudo junto o tempo todo pode acabar gerando um relacionamento mais fraternal do que o desejado.

Ele não demonstrar interesse sexual não significa que ele não te ama e muito menos que ele tenha uma “outra”. Afaste esses pensamentos que só vão ajudar a minar sua relação. Lembre-se que o sexo nada tem ver com o amor. Pode ser o começo, pode ser importante, mas a conexão entre amor e sexo é geralmente bem menor do que, principalmente, as mulheres costumam julgar.

Comente!      Postado por Cadu
25 abril 2012 3 Comentários Postado por:

Coisas dele, Relacionamento »

Muitas coisas evoluem com o passar dos anos, mas tenho notado que as relações ainda precisam se desenvolver um pouco mais. Hoje em dia é cada vez mais comum topar com histórias de pessoas que demonstram não ter qualquer tipo de consideração por suas histórias, pelas pessoas a sua volta ou por aquilo que supostamente deveriam ter. E isso é ruim, muito ruim.

Eu já contei um pouco da minha história por aqui e de como eu aprendi de uma forma bem bruta e doída como devo me comportar em relação ao sentimento dos outros. E depois de receber 2 e-mails contando histórias onde a falta de consideração fechou portas, acho que devo voltar a falar disso agora.

Aprenda, de uma vez por todas, uma coisa muito simples: Você pode não gostar mais, pode ter se decepcionado ou pode ter acontecido qualquer coisa que mudou de uma vez por todas o rumo da sua história a dois. Só não esqueça que além de estarmos pensando aqui em uma pessoa que foi muito importante um dia para você, estamos falando de alguém que tem dentro de si sentimentos. As pessoas se magoam. As pessoas mudam de ideia. As pessoas mudam suas prioridades. Não é difícil entender até aqui, certo?

Sozinho
Não seja ESSE cara

Então, temos a crise: Uma das partes mudou de planos e não está mais a fim. A outra, certamente, sofrerá com essa decisão. Em todo término sempre tem pelo menos uma das partes que sofre, quando não são as duas. Mas existem formas e formas de se fazer isso, além de que devemos usar toda aquela consideração que temos para evitar sofrimento desnecessário. E quer saber mais? Vai te fazer um bem danado se você fizer isso, eu já passei por coisas assim e sei bem do que estou falando.

Como fazer e/ou demonstrar consideração?

Simples. Existem várias pequenas coisas que você pode fazer. Dependendo do teu caso, um conjunto delas pode cair bem. Coisas do tipo:

1. Dedique um tempo para conversar e acertar todos os pontos com o/a ex: Simples assim. Tire um dia (ou alguns, se for o caso) para baterem um papo e resolverem todo e qualquer ponto que ficou mal resolvido. Não adianta iludir, não adianta só esquecer, tem que resolver. Coisas mal resolvidas podem crescer com o tempo e nem sempre isso será bom.

2. Mostre todo o seu respeito evitando certas atitudes: Não tem necessidade de você desfilar com o novo par na frente do ex, seja qual for a situação. Não é bacana também ficar se declarando publicamente pouco tempo após terminarem, já que o outro ainda esta por perto. Não é que você não possa fazer, mas por respeito seria bacana evitar por um tempo.

3. Trabalhe apenas com a verdade: Não tem porque mentir, não tem porque esconder nada. Você pode e deve trabalhar apenas com verdades quando for conversar com o teu ex, em qualquer hipótese que for. As vezes verdades ditas de uma vez produzem um efeito melhor que tentar esconder algo ou que tentar inventar desculpas. Isso é ter consideração, viu?

4. Seja gentil: Não tem necessidade nenhuma de você reagir com mal humor com a pessoa, já que é evidente que ela estará magoada. Se ver que as coisas estão esquentando, diga que precisa sair e fuja dali naquele momento, para retomar a conversa depois. E tenha paciência, isso será fundamental para resolver qualquer questão.

Na verdade, eu acredito que não deveria fazer um texto sobre isso, pois sempre espero dos outros no mínimo a mesma consideração que eu tenho para com eles. Mas na vida nem tudo é do jeito que a gente quer e não custa nada lembrar para as pessoas que essa postura vale a pena. Então, quando acontecer com você, lembre-se disso.

E não deixe de mandar esse texto para alguém que estiver passando por algo assim. Uma luz é sempre bem vinda na hora do desespero.

Related Posts with Thumbnails
3 Comentários      Postado por Rafael R