Diário de Casal - Página 3 de 57 - O melhor e o pior da vida a dois

6 novembro 2017 Comente! Postado por:

Coisas dele, Reflexões »

No geral, estamos sempre colocando a culpa em alguém e quase nunca em nós mesmos. Se algo deu errado no relacionamento a culpa só pode ser do outro. E se algo deu certo, bom… aí temos parte nisso, porque somos todos incríveis. O problema disso é a essência com a qual agimos: buscamos no outro a nossa felicidade, quando deveríamos ser nós mesmos os responsáveis por isso.

Existem grandes histórias de amor vividas por pessoas que são o extremo oposto uma da outra, ao passo que também é comum encontrar ótimas histórias sobre casais que têm tudo em comum. Partindo disso, o que exatamente devemos procurar enquanto estamos solteiros mas queremos alguém para chamar de mozão? Não importa. Pensamos que temos um tipo específico que precisamos encontrar, que tenha certas características pré-definidas, e com isso fazemos algo que não deve existir durante a busca por um parceiro para a vida: a restrição. Porque, se por um lado você quer alguém com um certo tipo físico, uma cor de cabelo ou até que atue em determinada profissão, por outro estamos excluindo das possibilidades pessoas incríveis que são diferentes desse tipo que pensamos ser o ideal.

E daí se a pessoa é mais baixa do que você queria que fosse? Qual o problema de estar um pouco acima ou abaixo do peso que você considera ideal? Tem certeza que alguém que não atua em determinada área profissional deve ser menos interessante do que alguém que atue na área que você quer?

É claro que conversas interessantes acontecem em dois extremos: ou as pessoas são incrivelmente iguais e a conversa flui de uma forma fácil ou então as pessoas são totalmente diferentes e a curiosidade vai te levar adiante na conversa. Em ambos os casos, você pode se surpreender e muito conhecendo alguém realmente interessante.

No final das contas, somente uma coisa importa: você encontrar alguém que te faça realmente querer ser você mesmo. Quando as suas qualidades fazem um olho brilhar só por te ver e quando seus defeitos não são tão grandes e podem até ser considerados como um atrativo ou desafio para a relação a chance de você não precisar fingir em absolutamente nada é enorme. E, uma vez que você pode simplesmente ser você mesmo, não existe mais jogo, mentiras ou enganações. Poder ser quem você é deveria ser um pré-requisito para qualquer relacionamento. Nada de “não, você não pode sair” ou “eu queria que você fosse diferente nisso”. Busque alguém que te aceite exatamente como você é, sem ilusões, frustrações ou fingimentos.

Espelho relação

E se nessa busca você encontrar alguém que te faça querer saber cada dia um pouco mais, aceitando cada detalhe sobre a sua vida, foque nisso: todos queremos ser felizes com alguém e todos deveríamos ser felizes sendo quem somos. Se não, da próxima vez que você se olhar no espelho e não se reconhecer, não adianta culpar o outro pelas suas frustrações. É você quem decide cada um dos passos que você dá nessa vida. Concordam?

Comente!      Postado por Rafael R
4 abril 2017 Comente! Postado por:

Coisas dele, Reflexões »

Ele sempre curtiu estar com os amigos, não abria mão disso. Ela preferia alguns programas mais íntimos, mas aceitava o fato de que eles poderiam sair algumas vezes por mês com o grupo todo. Ela adorava fazer programas culturais, mesmo que fosse apenas ir tomar um café no museu. Ele gostava de arte, mas não sabia quase nada sobre isso. Ele gostava de chopp. Ela também.

Porção de provolone a milanesa

Entre diferenças e semelhanças, a parte forte de uma relação está em como ambos lidam com cada um dos detalhes, no que diz respeito ao outro. Talvez a palavra que mais se aproxime para definirmos isso seja parceria. Não adianta apenas aceitar, não adianta muito apoiar. É preciso mais do que isso, é preciso tentar fazer parte ou topar abrir mão, por um tempo indefinido ou para sempre, caso seja algo que não fará falta.

Quando encontramos alguém que se encaixa em nossas vidas queremos manter essa pessoa por perto. As vezes o custo é alto mas a recompensa faz valer a pena. São poucos os casos em que pessoas que são parceiras não darão certo em um relacionamento. E entenda dar certo como por um período que vai de algumas horas até o resto da vida. Aliás, o próprio conceito de tempo numa relação as vezes é equivocado, afinal de contas algumas histórias dão certo por um tempo e é sempre melhor lembrar a parte boa do que se prender na ruim. Claro que a última deve ser lembrada, mas não como mágoa e sim como aprendizado.

A parceria nada mais é do que você estar disposto a olhar pelos olhos do outro, as vezes. Se você tiver disposição, nenhum caminho será longo e penoso demais e tudo vai acabar eventualmente se encaixando. E se você tiver um pouquinho de sorte, vai ter tantas coisas boas nesse caminho que as recompensas serão diárias. E você vai lembrar com tanto carinho desses momentos que jamais conseguirá se sentir mal pelo tempo que investiu na manutenção dessa fase da vida.

Nada como um chopp em uma sexta-feira, acompanhado de uma porção de queijo provolone a milanesa. Nada como lembrar com carinho de uma fase da sua vida. Nada como lembrar de algo que deu certo por um tempo. Nada como se sentir grato, por ter feito parte da vida de alguém de forma positiva. Mas, se por algum motivo isso não for adiante, tente pensar nisso: “Que não seja imortal, posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure”. Vinicius de Moraes escreveu isso em 1960 e não poderia ser mais atual.

As vezes os relacionamentos acabam. Seja aquele que lembrará com carinho da parceria que durou talvez menos do que deveria mas que foi eterna enquanto durou.

Comente!      Postado por Rafael R
31 março 2017 Comente! Postado por:

Coisas dele, Reflexões »

Não é algo recente e nem algo novo mas decidi que de repente era hora de falar algo a respeito. E para romper o silêncio desse blog, pode ter certeza: é algo que está me incomodando. Afinal, a cada dia que passa é mais comum elas romperem o silêncio sobre isso e sentirem que estiveram ou estão em algum tipo de relacionamento abusivo. E isso, meus amigos, é tudo o que não queremos mais fazer na vida. Ou deveria ser isso.

Você já reclamnou de alguma roupa que a sua namorada estava usando? Você já se sentiu no direito de não permitir – para não dizer PROIBIU – sua namorada de sair com as amigas dela? Você já revisou os contatos do Facebook/telefone dela e decidiu quem ela poderia manter/deveria deletar? Desculpe, cara, mas você é um completo idiota se disse um sim para qualquer uma dessas questões.

Relacionamento abusivo

Já estamos na era da informação, faz algum tempo. A cada dia que passa, cada um de nós deveria ter a preocupação de evoluir, de buscar sermos melhores e evitar os diversos erros do passado, tanto os nossos próprios quanto os daqueles que vieram antes de nós. Certas coisas não deveriam ter espaço nos dias de hoje mas infelizmente encontramos isso cada dia mais e não dá para ficar quieto. Se você ainda vive num tempo onde acha que tem o direito de interferir de forma negativa na vida de uma mulher é melhor você voltar para o futuro, onde isso não pode mais acontecer, não existem justificativas para isso.

O relacionamento pode ser considerado abusivo na medida que uma das partes começa a ser tão podada de seus direitos básicos que ela própria passa a se sentir mal por simplesmente pensar em algumas coisas. Deixar de falar com quem gostamos por um relacionamento é normal? Digamos que sim, na medida que é uma escolha sua em prol de se dedicar mais a quem você gosta, naquele começo de relacionamento saudável e tal. Mas se você está sendo proibida de fazer isso tem algo muito errado aí e a culpa não é sua. Se o cara que deveria te colocar nas nuvens está te colocando pra baixo, dizendo coisas como “ninguém vai querer ficar com você se eu te largar” ou “você deveria estar feliz por eu continuar aqui” você não tem necessariamente a obrigação de aceitar numa boa.

Mas como essa é uma dica para os brothers, sejamos diretos aqui: coloca a mão na cabeça, observa a forma como você tem agido e veja se você não está abusando e/ou estragando a vida de alguém, seja por ciúme, seja por hábito ou qualquer que seja a desculpa. Deixa de ser um cuzão se impondo de forma extremista e lembre-se que, além de sua namorada, a moça ao seu lado é uma pessoa que pensa, sente e tem desejos também. Eu posso te garantir pelo menos uma coisa: se você não mudar, ela vai descobrir um caminho para fugir de você e quando isso acontecer ela poderá ter a sorte de encontrar um homem de verdade. Nessa hora, você não vai ser nem uma lembrança ruim mais, vai ser só aquele babaca que fez ela perder X tempo da vida dela.

Vale para você que acha um absurdo sua namorada ter um dia para curtir com as amigas e para você que proibe ela de fazer qualquer coisa. Não seja um babaca que reproduz um comportamento de dono de alguém. Uma das melhores coisas do nosso tempo é perceber que relacões deveriam ser baseadas em confiança, em troca e principalmente em buscar a felicidade. Tempos difíceis exigem companhias incríveis, para balancear tudo o que vemos de errado nesse mundo. Não seja o cara que estraga a vida de alguém, mesmo que sem perceber. Seja o cara que é parceiro, que apoia e que entende. Não é difícil ouvir alguém sem precisar ter uma resposta definitiva para tudo, seja o cara que ouve e entende as vezes.

Confia no seu taco. Não precisa exigir e proibir, seja o parceiro que você fará muito melhor dessa forma. Ao invés de proibir, entenda. Ao invés de exigir, dê espaço. Ao invés de ser um cuzão, seja um brother. Dos seus brothers e da mulher que está ao seu lado. Se você só pensar nisso vai fazer um brother aqui feliz.

Comente!      Postado por Rafael R
3 outubro 2016 1 Comentário Postado por:

Coisas dele, Reflexões »

Alguns dizem que a maturidade vem junto com os boletos, companhia incansável e indispensável da vida adulta. Outros dizem que deixar a casa dos pais para tentar a vida solo é o ponto em que a maturidade se mostra no auge. Para mim, maturidade tem mais a ver com amar e deixar partir do que com qualquer outro sinal da idade adulta. E isso está longe de ser o único sinal, é claro.

deixarpartir

Encontramos ao longo da vida diversas pessoas, boas e ruins. Algumas apenas deixamos que o tempo se encarregue de levar para um caminho diferente do nosso. Outras poucas, no entanto, gostamos e até lutamos para que sigam conosco pelo maior período de tempo possível. É evidente que essa luta metafórica se mostra em e-mails cheios de saudade e alegria, ligações telefônicas que passam de 1 hora de duração e dias e mais dias de alegria fazendo as mais diversas atividades, desde ver aquela maratona de seriados quanto comer um hotdog baratinho na rua, perto da casa de alguém que ambos não gostam.

Porém, a responsabilidade mostra sua face oculta quando, pelos mais diversos motivos, somos obrigados a deixar que a pessoa siga o próprio caminho, destoando tanto da vontade de ambos. A vida traz oportunidades para todos e nem sempre as que vão surgir serão aquelas que manterão você perto de quem você ama. Nessa hora, se você não for realmente maduro para lidar com essa intervenção externa, você vai acabar surtando. E isso não vai terminar bem.

Se algum dia a vida lhe trouxer essa cilada, não hesite muito: deixe ir. As oportunidades são iguais as portas, que poucas vezes se abrem a troco de nada nesta vida moderna. Quando temos a certeza de que a chance em questão pode não só mudar o rumo de uma vida como também pode alavancar toda uma avalanche de coisas boas, não existem motivos suficientes para que você sequer cogite a chance de intervir. O melhor para todos os envolvidos é que nenhum desperdice uma grande oportunidade, seja ela qual ou onde for. Deixe ir.

Veja bem, não se trata daquele manjado e gasto “Se você ama algo ou alguma coisa deixe que parta, se voltar é porque é seu e se não voltar nunca te pertenceu”. Trata-se de algo muito mais valioso e incrível, que só passará a fazer sentido muito tempo depois. Não estar mais perto não quer dizer não valorizar, não amar ou não querer mais. Trata-se realmente de querer o melhor, de aproveitar a oportunidade e de deixar crescer e evoluir. As portas logo se fecham e você poderá ser o vilão ao se posicionar contra uma eventual chance de mudança de vida.

Nessas horas, amar é sim deixar partir. Quanto a você, seja forte apenas. Se for para ser, vai ser de alguma forma. Se não for, foi algo que deu certo por um tempo e que por forças maiores não terá continuidade nesse momento. Não seja egoísta de querer impedir isso, sob nenhuma hipótese. E seja forte porque a vida lhe recompensará de alguma forma em algum momento.

Difícil viver de possibilidades, hipóteses e bons pressentimentos? Seja bem vindo a vida adulta, onde não dá para ter certeza de nada e tudo o que você pode e deve fazer é curtir cada momento como se fosse o último.

1 Comentário      Postado por Rafael R
17 maio 2016 1 Comentário Postado por:

Reflexões, Relacionamento »

Procurar alguém para um relacionamento – sexo casual, namoro ou casamento – vai sempre passar pelo tipo de pessoa que gostaríamos de ter. Aquela história de encontrar o príncipe encantado, charmoso, sexy, talvez bem de vida para não dizer rico e que vai te dar os seus melhores dias na Terra nem sempre vai ser fácil de viver, mas isso está longe de ser ruim. O amor não é uma competição, onde temos que procurar e aceitar somente o melhor. Entender e conviver com limitações ou coisas ruins (ou, pelo menos, que não sejam as melhores possíveis) as vezes pode inclusive nos fazer muito bem, no sentido de que pode nos fazer evoluir e viver melhor.

Tenho diversos amigos que chegaram a encontrar a “pessoal perfeita” em algum momento de suas vidas e em todos os casos aconteceu o inevitável: o fim. Calma, ainda há esperanças para todos e a questão aqui nem é baixar as suas expectativas, é somente pensar se não é hora de você mudar a forma de abordar a situação. E eu sei que você vai conseguir pensar nisso de forma positiva e direta depois de ler isso aqui.

CasalPerfeito
No papel, somos perfeitos. Na realidade, nem tanto!

O primeiro passo aqui é perceber e ter a certeza: você não é perfeito (a) também. Todos nós temos pequenos defeitos que, maiores ou menores, são parte de quem somos hoje. Estamos sempre buscando melhorar mas sempre teremos o que melhorar, de alguma forma. Temos ótimas qualidades e valemos a pena? Sim, com certeza. Mas não existem pessoas realmente perfeitas.

Sabe aquela lista de qualidades indispensáveis que você tem na hora de procurar alguém para se relacionar? Bote fogo nessa lista. Suma com ela, esqueça dos itens e fique livre dessa obrigação de procurar alguém perfeito quando nós mesmos não somos perfeitos. Comece a olhar as pessoas pelo que elas são hoje, pelas suas qualidades e defeitos que, em muitos casos, são únicos. Comece a encarar um relacionamento como um desafio, onde você vai se dedicar para ser feliz e fazer feliz. O comprometimento é o melhor caminho, se não for o único, para que você possa passar a vida ao lado de alguém se sentindo completo(a) durante a maior parte do tempo. É hora de você se dar uma chance real de viver bem.

Related Posts with Thumbnails
1 Comentário      Postado por Rafael R