10 outubro 2011 3 Comentários Postado por:

Coisas dela, Relacionamento »

Por: Janaina Santos


Para ler ouvindo U2 – I Still Haven’t Found What I’m Looking For | Aperte o play acima

Quando eu olho para trás às vezes eu vejo todas as memórias que desperdicei em momentos que não eram exatamente, assim, tão especiais. Fico tentando pescar nos arquivos dos meus ficheiros de memória o rosto do primeiro menino que beijei. Seu rosto está apagado, seu nome eu não lembro com exatidão. Sei que podia ter esperado e escolhido um momento melhor, uma pessoa que significasse mais. Mas eu era tão jovem…

Penso da mesma maneira do meu primeiro beijo, do primeiro passeio de mãos dadas, do primeiro “eu te amo” que disse quando amor não parecia aquilo que eu sentia pelos meus pais e irmãos, das primeiras lágrimas de saudade, da primeira transa, a primeira noite dormida de conchinha. Penso em todas essas memórias hoje e acho que desperdicei minhas primeiras coisas em dias como outros quaisquer com pessoas que não deveriam ser como outras quaisquer.

Hoje se eu voltasse no tempo eu guardaria meu primeiro beijo com as duas mãos, cadeados, cofres e travas eletrônicas. Essas pequenas coisas são tão especiais, mas é uma das coisas engraçadas da vida nos dar conta disso só quando o tempo passou e o creme anti-rugas já está batendo na porta. A vida tem um timing que só alguma força superior entende e que eu ainda sou muito jovem para compreender.

Se algum dia eu tiver filhos eu gostaria muito de ser capaz de transmitir a importância dessas coisas. Eu sei que quando me disseram eu não ouvi, mas eu gostaria muito de um dia ser capaz de transmitir isso aos filhos que terei de uma forma que eles escutem, diferente de quando eu era menina e achava que entendia tudo da vida. Eu não entendo nada ainda hoje.

Eu sei que de alguma forma todos os erros que cometi e todas as oportunidades que desperdicei nos momentos errados fazem de mim quem eu sou. E eu gosto muito de ser quem sou. Mas esses pequenos tropeços me dão aquele sentimento de uma nostalgia fora dos esquadros, de sentir que algumas memórias preenchem lacunas que não deveriam preencher, com sujeitos que não deveriam estar nas minhas frases construídas com tempos passados.

Sim do amor
Aquele dia que o sim será definitivo e que vai gerar uma bela lembrança…

Se for certo que existe mesmo um tempo e uma hora certa para tudo, sei de uma memória da minha vida que ainda falta preencher as lacunas e que talvez possa consertar todas as outras memórias que preenchi errado até hoje.

Eu nunca aceitei um pedido de casamento.
Eu nunca disse um “sim” que significasse tanto.

E quando a hora chegar eu quero dizer “Sim, quero ser feliz com você para o resto da vida” sem nenhum arrependimento de todos os amores errados que amei até hoje.

Quer participar do Diário de Casal e dividir a sua história com o mundo inteiro? Saiba como participar e não deixe para depois!

3 Comentários      Postado por Ele / Ela
7 outubro 2011 Comente! Postado por:

Rapidinhas »

A partir de hoje, comentaremos algumas notícias nesse espaço e você pode ajudar. Envie links e matérias do que você viu por ai e achou bacana, comentaremos e daremos o crédito a você.

Por que as namoradas devem amar mais do que seus namorados?

porque as namoradas devem amar mais do que seus namorados?

Esse curta já está rodando a internet a pouco mais de uma semana, mas eu não poderia deixar de trazê-lo para cá. Afinal de contas, quem é que ama mais: O namorado? A namorada? Dá mesmo pra medir o amor?

Dizem por aí que as mulheres acabam amando mais do que os homens, mas como existem exceções e não é possível dar um volume a isso… bom, veja o vídeo abaixo e junte-se ao grupo de pessoas que adorou isso.

Via Smelly Cat via Porque as namoradas

O que mais irrita os homens…

Se pudéssemos fazer uma lista de 10 coisas – e olha só, 10 ainda seria pouco – para dizer as coisas que as mulheres fazem que nos irritam… ops, não precisamos mais fazer uma. A Kel do Tramado por Mulheres fez essa lista que pode ajudar mulheres a pararem com comportamentos irritantes mundo afora.

10 coisas que irritam os homens

Confira o restante da lista direto no Tramado por Mulheres.

É possível ser feliz sem sexo?

Boa tarde, encontrei em seu site algo muito familiar que está acontecendo comigo. Namoro há quase dois anos e minha namorada tem mostrado desinteresse pelo sexo. Só fazemos quando tomo a iniciativa ou quando insisto muito. Já passamos mais de um mês sem sexo. Procurei entender e ela me disse que só transava para me agradar e que por ela o sexo tornou-se algo dispensável.
Fiquei sem palavras. Não quero terminar o namoro. Tenho certeza que ela é a mulher da minha vida. Como eu posso ajudá-la? Isso é normal?

A resposta você pode conferir aqui, direto do Malvadas.

Envie aquela notícia que você encontrou, um vídeo curioso ou uma imagem divertida sobre relacionamentos para nós. Para saber como fazer isso, entre em contato conosco. Daremos os créditos a você por isso.

Comente!      Postado por Rafael R
6 outubro 2011 3 Comentários Postado por:

Coisas dela, Relacionamento »

Por: Fernanda Feitosa

Tem uma coisa que é muitíssima complicada de entender: Os namoros ou casamentos onde um dos envolvidos tem os famosos encontros as escuras, enfim existem aqueles que justificam pelo simples fato de não encontrar no seu parceiro aquilo que procura no momento ou até mesmo aqueles que alegam que com o tempo o relacionamento caiu na rotina e com isso acabou sentindo a necessidade de buscar novos horizontes.

Tem dois lados da moeda, existem vários tipos de relacionamentos e vários tipos de pessoas, mais uma coisa temos que concordar: QUANDO É COM A GENTE, INDEPENDENTE DA JUSTIFICATIVA OU EXPLICAÇÃO CABÍVEL NÃO É ACEITÁVEL. Então chegamos sempre em um impasse, estamos em tempos modernos onde a mulher conquistou o seu espaço e enfim conseguiu se igualar ao homem, hoje não tem mais aquele clichê de que homens são safados e mulheres injustiçadas, ta tudo igual e no meio desse turbilhão de sentimentos e novidades um relacionamento duradouro é a coisa mais rara de se ver.

Vivemos na época de que a grande parte das pessoas levam a risca a frase: NINGUÉM É DE NINGUÉM. E ai lhe pergunto, será mesmo que você não quer ser de ninguém ou na verdade o ninguém que esta ao seu lado não é realmente quem lhe completa? Sim, podemos errar e errar é mais que humano e todos temos este direito, mais o mais importante do que saber disso é saber reconhecer o erro e chegar a uma conclusão do que deve ser feito para melhorar o relacionamento ou até mesmo se achar dentro da situação.

Traição

Acredito que um relacionamento começa quando existe primeiramente admiração entre ambas as partes e com isso vem junto um montão de sentimentos e o primordial de todos é o respeito, porque ele é bom e todos gostam. Encontrar um cara bacana ou uma menina legal para se ter algo sério hoje em dia não é uma tarefa fácil, vejo que todos estão sempre com medo de algo que ninguém ao certo sabe como vai ser, claro que não se deve entregar o coração ao primeiro que aparecer na sua frente a escolha do parceiro tem que ser em sincronismo: coração e mente!

Duvido que tenha alguém que fale: “Ah, o importante é ele ser legal, não ligo para fidelidade” porque todos buscam um alguém que nos respeite, então porque não podemos respeita-los também? Não ta legal, ta faltando alguma coisa, caiu na rotina? MEXA-SE!!! Somente vocês dois vão poder fazer a situação mudar e as peças se encaixarem, porque reclamar e não tomar nenhuma atitude é fácil. Resolva se o melhor é estar junto ou não.

Acredito que quando existe respeito acima de tudo o restante vem naturalmente.

Muita gente já está participando do Diário de Casal e dividindo a sua história com o mundo. Descubra você também como participar e faça parte disso!

3 Comentários      Postado por Ele / Ela
5 outubro 2011 1 Comentário Postado por:

Relacionamento »

Por: Adriano Cesar de Oliveira Santos

Quando nós, homens e mulheres, estamos sós e nos lançamos em direção à difícil jornada pela busca de sua metade para compartilharmos uma vida, temos a tendência de criar um perfil que condiz com nossos melhores desejos, crentes que com base neles a felicidade será garantida e plena. Porém, desejos comuns e compartilhados por muitos tende a criar uma legião de decepcionados.

A mídia, com razão pelo objetivo no uso da imagem, nos bombardeia com um perfil de mulheres e homens que não condiz com a realidade da grande maioria das pessoas, e essa imagem normalmente é composta de um perfil corporal, estético, social e financeiro que instiga o desejo, criando automaticamente a falsa crença de que este conjunto seja sinônimo de realidade e principalmente felicidade ‘eterna’.

Infelizmente há uma regra que não é seguida pela maioria das pessoas quando buscam por alguém para compartilhar uma vida juntos. Essa regra consiste em compreendermos que a felicidade está no que necessitamos e não no que desejamos. Se pensarmos bem, ela pode ser aplicada em vários âmbitos de nossa vida.

Seria hipocrisia dizer que a aparência não é importante, pois é o cartão de visitas, a primeira impressão que qualquer pessoa deixa em outra, e ninguém gostaria de estar com uma pessoa que não lhe agrada aos olhos. Mas este ‘agradar’ é muito relativo e pessoal. Temos que ser realistas, a beleza plástica que nos é exposta na TV, nas revistas ou outros meios visuais de publicidade não é a realidade prima. A beleza nem sempre está só no externo e o conjunto perfeito de beleza interna e externa também é algo raro demais de se encontrar.

Casal feliz

A vida em conjunto vai além das aparências. Após anos de convivência e com a chegada da velhice, a aparência deixa de ser fator importante, o sexo já não terá a mesma importância ou constância e o que sustentará a relação? A cabeça, conteúdo, valores, princípios, alegria e muitos outros sentimentos que não são visíveis aos olhos.

A união entre seres tão diferentes é complicada, pois é feita de um constante ceder. Ambos terão que aprender a ceder e conviver com as diferenças, saber respeitar as diferenças, e mudanças pessoais podem vir para melhoria da relação, mas a cada um cabe saber quais de suas características são passíveis de mudanças. O que não pode haver é umas das grandes falhas na vida conjugal, o sufocar com exigências de mudanças.

Mesmo convivendo anos com alguém, muitas vezes ainda não a conhecemos profundamente. Não se pode exigir fidelidade, isso é impossível. A fidelidade é conquistada com diversos fatores, principalmente com a constante conquista, não diária como muitos dizem, mas com a eterna conquista, o nunca deixar seu homem ou mulher esquecer o quanto é importante em sua vida.

O ser humano por natureza busca por coisas novas, por melhorias, por novidades, pois o novo gera curiosidade e sempre atrai. Infelizmente isso é mais forte em algumas pessoas e elas levam isso também para a relação, fazendo com que uma relação bonita e saudável construída durante meses ou anos de convivência venha a ter um fim, e muitas vezes em situações muito desagradáveis, ferindo profundamente quem só tinha amor e respeito a oferecer. Isso é reflexo muitas vezes da incapacidade de reconhecer sentimentos, da dificuldade entre diferenciar o amor de uma grande amizade, carinho ou carência.

A verdade é que, independente do motivo, quando uma relação chega ao fim ambos saem muito machucados, um mais e outro menos, mas a cada um cabe sua parcela de culpa.

O primeiro encontro não é o mais importante, pois de nada adianta um lindo inicio com um triste fim. Você pode conhecer alguém especial na internet, na rua, em uma fila, em qualquer lugar ou situação, mas o importante será que fim levará este encontro e o quão forte e sincero será isto para permitir que a união seja estável e ultrapasse as tormentas da vida.

1 Comentário      Postado por Ele / Ela
4 outubro 2011 7 Comentários Postado por:

Coisas dele, Histórias »

Por: Ronaldo*

Estou meio sem entender o que houve… Pois de repente, me vi enxugando lágrimas de uma menina que me cativou o coração.

Isso foi há 5 anos atrás, quando eu, num dilema subjetivo, me perguntava se deveria namorar uma garota com 9 anos a menos que eu. Ela tinha 16. De repente, já estava na casa dela… Não estava apaixonado por ela, mas fui levando e fui levando até que passei a gostar dela de fato. E estava tudo bem. Me dava bem com os parentes dela, nosso relacionamento era ótimo. Estava tudo perfeito e eu estava querendo arrumar um bom emprego para poder ficar com ela para sempre.

Acontece que o sol sempre vêm trazer luz para as coisas que estão na escuridão.

A menina que vivia jurando amores e me colocando num pedestal, havia me traído com um colega de serviço. A coisa toda veio à tona… e ela mentiu falando que não tinha feito. Mas como a mentira tem pernas curtas, ela teve a admitir a culpa. Aquilo foi duro para mim. Tentei perdoar, mas jamais consegui ser o mesmo com ela. Não consegui ser tão romântico e dedicado quanto era.

Talvez, eu deveria ter dado tempo para eu me recuperar… o tempo q ficamos separados foi curto. Eu não conseguia ficar muito tempo longe dela e junto dela, não consegui ser o mesmo. Passei por cima da minha família para ficar com ela, apesar de não ser a mesma pessoa com ela.

Até que pela falta de dialogo, a relação se desgastou. Parece que foi tudo em vão. Foi em vão brigar contra minha família, foi vão engolir meu orgulho, pois, quando o sinal amarelo se acendeu, eu tentei salvar a relação sozinho.

Hoje, não estamos mais juntos. Sinto falta dos momentos bons que tivemos juntos. Há uma pessoa na vida dela também. Parece que eles estão felizes, e sei que se assim é, é melhor para ambos. Só não entendo o sentimento contraditório que me assola.

Às vezes, tenho raiva de ela não ter tentado lutar pela nossa relação como eu tentei. Às vezes, penso que tenho que ser grato, pois, parece que eu era um saco de soro fisiológico sendo sugado. E assim estou agora; me questionando a respeito de se doar cegamente novamente. Sei que é muito nobre doar sem exigir recompensas, mas no fundo, todos queremos reciprocidade.

Sem rumo
Aquele momento da vida onde nada faz muito sentido…”

Ainda sou amigo de muitos da família dela e isso as vezes, dificulta a cicatrização. Preciso de sabedoria para saber administrar isso… E hoje, vivo um misto de sentimentos… Ora desejando o bem dela… ora desejando que o tempo me faça “justiça”.

Quer participar do Diário de Casal e dividir a sua história com o mundo? Saiba como participar e não deixe para depois!

Related Posts with Thumbnails
7 Comentários      Postado por Ele / Ela