21 setembro 2011 7 Comentários Postado por:

Coisas dela, Histórias »

Por: Luciana*

Eu tenho 18 anos e namoro há quase 3 anos, em um relacionamento a distância. Como todos sabem namorar longe é muito complicado e poucos conseguem e, sinceramente, eu já to esgotada fazem 2 anos. Eu não sabia que seria tão difícil e desde então venho cometendo muitos erros com ele.

Distância Primeiro, eu acho que terminei com ele umas 200 vezes, eram só briga, sabe, quando ele estava longe. Quando ele voltava ficava tudo um mar de rosas mas depois quando ele ia pra cidade dele, nossa, era um inferno! E então fiz muita cagada e ele foi aguentando, aguentando, até que esse ano ele mudou muito, está indiferente e tudo mais.

Eu assumo que fiz besteira, que joguei fora o bom namorado que ele era e o magoei muito. E acho que estou pagando por isso, eu estou sofrendo muito com essa indiferença dele ele, ele está muito frio e eu temo que ele talvez esteja deixando de me amar. Eu pedi desculpas sinceras a ele, só falta eu me jogar aos pés dele, de verdade. Acho que tenho esperanças que ele mude mas ele não vai voltar a ser quem era antes e eu estou sofrendo muito com essa situação, só que se eu terminar eu vou ficar pior porque eu gosto dele.

Me sinto encurralada, não tenho pra onde ir! Eu estou terminando o ensino médio e quero prestar faculdade pra cidade dele, só faltam três meses mas e se eu não passar? Vai continuar isso? Eu to muito atordoada e sei que esse post vai ajudar muitas pessoas que passam por essa situação de namoro a distância e sabem o quanto é difícil pra quem fica. Ao mesmo tempo que peço pra comentarem e me ajudarem peço para que quem esteja passando por isso não cometa o mesmo erro que eu, não dê uma de revoltada e saia terminando o namoro. Nem todo homem aguenta essa pressão.

Eu não sei se perdi a esperança em namoros assim mas eu ainda tenho esperança no amor, que um dia vamos encontrar aquela pessoa que nos faça sorrir quando tivermos vontade de chorar, que cuide, que alimente nossa alma e que não somente nos complete e sim nos transborde. Não perca a fé você que namora a distância. Confie, ame e lute. O verdadeiro amor nunca vem de graça!

Cuide bem do seu amor seja ele quem for! Eu faria tudo pra poder consertar o mal que eu te fiz…

Quer participar do Diário de Casal e dividir a sua história com o mundo? Saiba como participar e não deixe para depois!

7 Comentários      Postado por Ele / Ela
20 setembro 2011 Comente! Postado por:

Rapidinhas »

A partir de hoje, comentaremos algumas notícias nesse espaço e você pode ajudar. Envie links e matérias do que você viu por ai e achou bacana, comentaremos e daremos o crédito a você.

Engenheiro do Google usa Maps para pedir namorada em casamento

Rapidinhas do ddc

O engenheiro de software do Google Ari Gilder resolveu misturar o trabalho e a vida pessoal de uma forma interessante: ele usou o Google Maps para pedir a namorada, Faigy, em casamento. “Recentemente, decidi pedir minha namorada, Faigy, em casamento. Eu sabia que queria fazer algo significativo e, sim, de forma extraordinária, então decidi colocar minhas habilidades de engenheiro de software para trabalhar na última caçada romântica pelas ruas”, escreveu Gilder em um post no blog oficial do Google.

Veja o restante da história inusitada no Terra.

#BrunaDisseSim

A gente contou por aqui essa história: A Bruna foi pedida em casamento pelo Twitter, com o uso de uma hashtag. Ela aceitou o pedido. E agora, o vídeo que documenta o casamento dela com o Alexandre.

Legal, né?

Casamento Surpresa Like a Boss

É comum acontecer casamentos surpresas, mas em todos os casos os noivos já haviam cogitado o casamento. Nesse caso é um pouco diferente, o cara nunca falou nada de casamento com ela e preparou uma festa com 200 convidados, em um dia bem incomum. Olha a cara dela ao descobrir a surpresa.

Vi no Uhull.

Envie aquela notícia que você encontrou, um vídeo curioso ou uma imagem divertida sobre relacionamentos para nós. Para saber como fazer isso, entre em contato conosco. Daremos os créditos a você por isso.

Comente!      Postado por Rafael R
15 setembro 2011 27 Comentários Postado por:

Artigos, Relacionamento »

Vocês se lembram de mim? Probably, NOT!, diria Borat. O que é compreensível, já que faz quase um ano que eu não apareço por aqui pra falar da minha vida a dois. Não falo porque não tenho tempo, ou porque não aconteceu nada grandioso, tipo eu engravidar, casar ou comprar um apartamento. No máximo eu arranhei o carro do meu noivo numa lavagem com Scotch Brite. Mas hoje eu vim pra falar umas verdades pra vocês: A verdade é…você quer a verdade? Você não pode com a verdade!

OK. Você quer saber como se dar bem num relacionamento à distância? Here we go.

Vez ou outra a gente recebe e-mails de leitores desesperados por uma solução para seu namoro à distância. Sejam adolescentes morando a milhares de quilômetros, jovens em cidades vizinhas ou mulheres de meia-idade apaixonadas por namorados virtuais, sempre tem alguém passando pelo mesmo dilema: a distância complica as coisas, a ausência do outro dói, existe o ciúme, a desconfiança, a insegurança.

Pois bem, hoje eu acordei querendo dar um choque de realidade nas pessoas e vocês serão o alvo: não, não vai ser fácil. Sim, você vai sofrer, vai se sentir sozinho, vai ter milhões de dúvidas cada vez que se levantar da cama, o diabo vai testar sua fidelidade… tudo isso vai acontecer. Mas isso não quer dizer que um relacionamento assim não possa dar certo. Até porque eu estou aqui pra dizer que o meu deu. Faz dois anos que comecei a namorar um cara de outro estado e hoje moramos juntos há mais de um ano.

Amor à distância dá certo, sim... mas, por quanto tempo?
Amor à distância dá certo, sim… mas, por quanto tempo?

E por que deu certo? Porque nós não ficamos só nos planos. Nós agimos. Claro que, além disso, outros fatores conspiraram: eu já não tinha 18 anos faz tempo, ele também não. Eu pretendia mudar de cidade, não estava feliz no trabalho, ele estava disposto a me “carregar” até que eu me estabilizasse. Então resolvemos ficar noivos e eu vim pra cidade dele. Sem maiores melosidades, foi basicamente isso. Claro que foi difícil, minha família não gostou muito, eu vim pra uma cidade nova, sem amigos, sem um “suporte”que não fosse o dele, mas quem disse que a vida é fácil?

Então, se você tem um relacionamento desses, não tem muito mais o que fazer do que colocar os planos e sonhos em prática. Senão, vocês nunca vão sair do lugar. Obviamente, os dois têm de ter noção de que, se acabar, a vida vai continuar e vai ser uma merda… já pensou: você sozinho em outra cidade, sem ter onde morar, dependendo da pessoa que não te quer mais? Só que ficar esperando ganhar na Mega Sena pra viver juntos felizes para sempre é como ver um filme com o Brad Pitt e ficar imaginando como seria se ele fosse seu… tudo lindo, nada real.

Assim eu termino, sem final feliz, porque a vida não é um conto de fadas.

27 Comentários      Postado por Rose Carreiro
14 setembro 2011 4 Comentários Postado por:

Coisas dela, Histórias »

Por: Camila Granato

Olá! Essa semana pensei em vários temas que poderíamos conversar aqui, mas me vi por várias vezes pensando exatamente na mesma coisa: sinceridade demais, estraga? A vida me ensinou que sim. Sinceridade em excesso estraga. E sinceridade em excesso associada à total falta de sensibilidade de quem vai falar, distorce assustadoramente a boa intenção da implicância. E muitas vezes, o bem intencionado não alcança o seu bom objetivo.

Era uma vez uma menina, que tinha duas grandes amigas. Amigas fiéis, do tempo de colégio. Daquelas de se contar para tudo, sabe? E com as quais poderíamos ser plenamente sinceras. Deferíamos as opiniões sem medo , pois sabíamos que as outras entenderiam exatamente o que queríamos dizer. Até que um dia, uma opinião não foi entendida como deveria. E das três, apenas duas ainda continuam amigas depois dos 30.

Sim esta história é minha. Quem falou o que pensava sobre o novo namorado de uma das duas, fui eu. Quem criou antipatia dele, Deus sabe porque, fui eu. Quem insistia em falar sempre disso fui eu. E quem perdeu a amiga, também fui eu. Mas, de quem foi a culpa? Hoje, pensando com carinho no que aconteceu e em como me comportei, digo que foi plenamente minha. Minha por conhecer tão bem a minha amiga e mesmo assim não saber a hora de falar o que eu pensava e respeitar o que ela sentia.

Aprendi da pior maneira.

E acho que essa história retrata bem, que por mais que estejamos repletos de boas intenções nunca podemos ignorar o outro lado. Não
podemos sair falando nossas opiniões no esquema do “doa a quem doer”. Porque até para receber um conselho a pessoa tem que estar disposta a isso. E por mais que você conheça alguém como a palma da sua mão, suas reações podem sair bem fora da encomenda. E às vezes não temos feeling para entender esse momento e colocamos as coisas a perder.

Mulher pensando
Se viesse o estalo na hora, tudo se resolveria!

E claro, que alguns de vocês me perguntariam como teria feito a mesma coisa sem magoar tanto a minha amiga? Simples. Prestado mais atenção nela. No carinho que ela atribuia ao namorado, na relação dos dois e principalmente, no momento da vida que ela estava passando e da importância do namorado nesse momento da vida dela. Quem sabe, se eu tivesse sido menos egoísta e guardasse um pouco o minhas opiniões sobre o namorado dela, talvez ainda fizesse parte da vida dela e poderia ter tido tempo de conhecer melhor o cara, para mudar a minha opinião sobre ele, ou não.

4 Comentários      Postado por Ele / Ela
13 setembro 2011 Comente! Postado por:

Coisas dela, Relacionamento »

Por: Sabrina Ribeiro

Todo mundo cresce ouvindo a velha história da “metade da laranja”. Tudo muito lindo, romântico, colorido…mas nada fácil de vivenciar. Definitivamente a dinâmica para um relacionamento dar certo é algo a ser descoberto por cada casal…isso, é claro, se a dupla em questão for resistente o bastante para passar pelas tradicionais intempéries.

De fato, nessa maratona que todos nós empreendemos e pretendemos sair vencedores; não há nada mais desgastante do que essa busca. Você conhece, se encanta, acha que é a sua metade, beija e… zap… vira um sapo!

Depois de beijar alguns pretendentes do brejo, é natural bater um “cansaço”. Tem muitos mais ”sapos” no mundo do que “metades das laranjas” – isso, é claro, considerando a perspectiva do indivíduo. E enquanto sapo é sapo – e não dá muita diferença no resultado final – no caso da metade da laranja é diferente, não serve qualquer uma, tem que ser a sua. O que por si só dificulta bem a coisa toda.

Metade da laranja errada
No fundo, sabemos que não dará certo!

E isso sem falar em um outro agravante para as “metades das laranjas” que diz respeito ao “ponto”… laranja verde é azeda até se encontrar a sua metade… para funcionar é preciso uní-las quando as mesmas estiverem no “ponto”. Esse papo todo pretende introduzir um método infalível que promete reduzir o desgaste da busca pela sua “metade”. Depois de anos de experimentação posso assegurar, a qualquer um, que somente os sapos compartilham de uma característica: a falta de apoio.

Não tem conversa, se o cara/garota não te apoia, não te admira, não vibra por você, pode ter certeza… é um habitante do brejo. Eu sei, eu sei que ele é lindo, tem um corpo escultural, sei que ele cozinha e é gentil com você e vive te levando pra jantar e te dando presentinhos. Como assim um sapo? Isso é inacreditável! Eu explico: tudo isso é maravilhoso, eu adoro e quero tudo isso também, assim como você, mas apoio tem mais a ver com a essência da relação e em absoluto não depende de nada disso. O que adianta ter tudo isso e não ter cumplicidade, não ter o cara presente nas pequenas situações do dia-a-dia, que é onde, de fato, se constrói um relacionamento bem sucedido? Precisa rolar uma sintonia de admiração, de “tamo junto pro que der e vier” e não só um jogo de sedução, ou pior, um teatrinho para te levar pra cama.

Apoio só se avalia no dia-a-dia. As vezes, antes mesmo de começar a ficação. Porque quando o cara tá na sua, ele te apóia e está ali por você – mesmo que tudo o que ele possa fazer seja dar um sorriso. Encontrando apoio você, de fato, vai ter uma chance de ter encontrado a sua “metade da laranja”; e aí, é claro, deixar a conquista mais interessante e inebriante é por conta de cada um.

Related Posts with Thumbnails
Comente!      Postado por Ele / Ela