Home » Crônicas, Histórias, Relacionamento

Como NÃO se comportar no primeiro encontro ou Como conheci minha namorada

8 abril 2010 26 Comentários       Postado por Cadu

Notei que eu não contei como conheci minha atual cara-metade. Ela adora contar essa história, mas desta vez vou tomar a frente e contar a minha versão, que é reconhecida (por mim mesmo) como a real, verídica e que aconteceu de verdade.

Sempre tive contato com a Internet desde que ela começou a se popularizar no Brasil. Em outras palavras, vou me sentir meio velho falando isso, sou da época do IRC então, para mim, sempre foi comum conhecer pessoas pela Internet.

A aproximadamente a três anos tive uma separação bastante problemática e traumática. É muito comum que após uma separação como a minha, que causou grande abalo físico, moral e mental, a pessoa se isole do mundo e passe a ter medo de relacionamentos. Porém, tão comum quanto esse comportamento, também é o comportamento “vou sair pegando geral”. Não é algo para se orgulhar, mas foi o que aconteceu no meu caso.

Como eu estava morando em uma nova cidade, ainda não tinha um amplo círculo de amizades, mas obviamente isso pode ser resolvido hoje em dia com a rede internacional de computadores. Passei a frequentar comunidades de redes sociais, salas de bate-papo e a adicionar pessoas devidamente selecionadas no live messenger.

Em uma dessas salas de bate-papo, enquanto adiciona pessoas interessantes (ou nem tanto), encontrei a “Gatinha inteligente”. Gostei do nick e puxei assunto. Claro que em pouco tempo chegamos ao assunto “relacionamento”.

Eu: E aí? Está namorando?
Ela: Mais o menos, estou esperando uma resposta!

Nesse momento minha reação foi: “Xiii, mais uma apaixonada que não sabe o que faz da vida!” e movi o contato dela para uma pasta, carinhosamente nomeada como “geladeira”.

Ela sempre puxava papo, eu sempre dizia uma gracinha ou outra, mas não ficava nunca com muita esperança. Foi uma pessoa que simplesmente não tinha me despertado interesse. Até o dia que ela me perguntou sobre meu perfil no Orkut, enviei-lhe o meu endereço na famosa rede social e ela me adicionou.

Foi então que dei o primeiro passo para conhecê-la melhor: olhei as comunidades que ela participava e comecei a notar que tínhamos gosto pelas mesmas coisas. Vi que ela gostava das mesmas músicas, de ler, que tínhamos ideias parecidas, e por fim olhei as fotos do álbum. Foi então que algo mudou. Eu particularmente não sou muito de programas ecológicos como trilhas e caminhadas, meu conceito de civilização é até onde tem sinal de celular, no entanto, as fotos dela em uma queda d’agua me chamaram a atenção, não sei se pelo cenário paradisíaco, se pelo sorriso de satisfação que ela tinha nas imagens, mas acredito que, muito provavelmente, pelo biquíni que ela estava usando.

Ela me convidou para o cinema. Sim, ela tomou a iniciativa antes, aceitei. Fomos ver a última sessão de uma comédia romântica genérica em um shopping. Quando entramos na sala de cinema, a sessão estava quase vazia. Notei que ela andava muito até escolher um lugar para se sentar. Finalmente, depois de me fazer entrar em umas três fileiras por engano, ela escolheu um lugar e se sentou. Eram uma dessas poltronas com braço basculante e primeira coisa que eu fiz foi abaixar o braço acolchoado da poltrona, separando nossos assentos. Alguns podem pensar, “poxa, mas que cara mais devagar” ou “por quê não aproveitar a oportunidade que ela estava dando ao escolher justamente os assentos que permitiriam uma aproximação?” Eu respondo: eu gosto de deixar o braço apoiado enquanto vejo um filme.

Depois do filme fomos comer em um desses restaurantes fast-food. Eu pedi o lanche de sempre, enquanto ela pediu um sanduíche de filé. Conversávamos sobre diversos assuntos, desde cinema a política quando notei algo estranho. Sabem quando o filé não se parte com a mordida e você fica “brigando” com a carne? Você tenta separar à mordida, mas o recheio teima em saltar todo para fora do pão? Então, eu não consegui me controlar e ofereci minha ajuda:

Parece que o seu filé está mal passado ainda. Quer que eu peça uma faca ou uma tesoura para o atendente? Podemos acabar de abatê-lo!

Ela riu. Ainda bem! Riu mais de nervosa e sem graça do que por ter achado realmente graça. O que eu poderia fazer? Sou do tipo que perde o amigo, mas não perde a piada.

De lá entramos no carro e ficamos conversando. Sim, conversando. Conversamos por mais umas quatro horas, ouvindo músicas, contando histórias. Percebi como era gostoso novamente conversar com alguém interessante e com os mesmos interesses, como é relaxante expor ideias, e perceber que você não quer apenas beijar ou dar uns amaços com alguém, mas que você quer ouvi-la. Ouvi-la de verdade, não apenas fingir interesse para ganhar terreno.

O primeiro beijo saiu depois, e apenas depois, dessas quatro horas de conversa. Amanheceu o dia e ainda estávamos na rua. Tomamos café da manhã em uma padaria e quando eu voltava para casa, pensei comigo mesmo que provavelmente era ela a próxima pessoa por quem eu me apaixonaria.

Claro que ela reclama das quatro horas que teve que esperar e faz muitas piadinhas sobre isso, mas eu simplesmente respondo “Não valeu a pena esperar?”. Para mim, valeu muito a pena!

Related Posts with Thumbnails
26 Comentários      Postado por Cadu
­
­

26 Comentários »

  • jazz disse:

    Isso já aconteceu comigo! mas o cara não me beijou no final. Beijou só depois de três meses – é normal?

  • Ly disse:

    Eu ouvi essa história da boca da protagonista, na porta de um forró numa terça-feira! Adorei! kkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Cadu disse:

    Ly: e ai? Muito diferente as versões?

    Jazz: não, ele é lento!!!

  • Marina Laterza disse:

    O Cadu, que gracinha de história.
    Teve uma parte que você escreveu que eu me identifiquei muito. Achar uma pessoa que você pode ser quem você realmente é sabe? Falar tudo e ver que a pessoa gosta de te ouvir e se sente a vontade pra falar!
    Isso é muito bacana, muita felicidade pra vocês! :)

  • Maya disse:

    Que bonitinho!Ah,como são lindas as historias de amor que dão certo.E você agiu corretamente,principalmente,não tentando pega-la logo lá no cinema. E mais,sendo você desde o inicio!

    Adorei a história do filé! SAHSUAUH :P

    “Tomamos café da manhã em uma padaria e quando eu voltava para casa, pensei comigo mesmo que provavelmente era ela a próxima pessoa por quem eu me apaixonaria..”

    Lindo!

  • Johnny C disse:

    Cadu, diz que pelo menos pra Paulinha vc já contou isso =p pq eu juro que não lembro de ter ouvido essa história da sua boca, e a Paulinha vai ficar puta contigo se souber q vc não contou pra ela kkkk

  • Diego Fávero disse:

    hahaha muiiiiiiiiito boa sua história, Cadu!!
    Esperar é muito gostoso, essa ansiedade de quando vai sair o primeiro beijo .. o momento certo e especial .. pq qto mais vc “adia”, mais coisas boas vc foi conhecendo dela e qdo o beijo saiu foi muito mais gostoso do que se saísee no começo do filme. Além do mais, vc iria perder o filme.

  • Ly disse:

    Não amigo, as versões são super parecidas, a diferença é a riqueza de detalhes que Dessa conta kkkkkk

  • Dudu X7 disse:

    Cara… legal! Fico feliz por vc estar feliz. Agora, lendo esse seu texto e relembrando o q vc me disse… interessante… agora entendo o quão apaixonado vc estava qdo me falou q tinha conhecido uma pessoa excepcional – nao imaginei q vc estivesse se sentindo assim. Anyway, reitero o q falei antes: fico feliz por ti, meu caro. Ah, nao ouvi a outra versao, mas essa ta excelente! Dificil de ser batida.

  • Cadu disse:

    A partir desse post a revista “Sou mais eu” chegou até a Andressa minha namorada e convidou-a a dar a sua visão do nosso primeiro encontro, a matéria pode ser lida aqui http://mdemulher.abril.com.br/amor-sexo/reportagem/historia-de-amor/co mo-salvei-nosso-primeiro-encontro-586112.shtml

  • Você já teve um encontro hoje? | disse:

    […] conhecer uma história fofa pela visão dos dois lados? A história contada por ele A história contada por […]

  • Yul disse:

    Achei seu blog por acaso, enquanto procurava uma imagem para um texto no meu…

    Bela história. Meu casamento (que lamentavelmente terminou) começou parecido. Internet, ela me convidou pra ir ao cinema. Ficamos juntos na segunda noite. Chegamos em casa depois do primeiro encontro, e ficamos conversando até as três da manhã, quando decidimos sair de novo. E ai, foi.

    Uma analogia que me veio sobre inícios de relacionamentos seria dançar um tango. Você está lá com a pessoa, envolve-a, sente-a, observa-a, conduz conforme o ritmo. Não há outro tipo de interação, você não a beija logo no início da música, e talvez nem ao final, apenas deixando-a com vontade do beijo. E, então, ela se entrega.

    Odeio essa necessidade deste século, de que as coisas precisam ser pra ontem. Conhecer a pessoa, e já cair matando. Cada coisa ao seu tempo. Como você disse, valeu a pena esperar. Sempre vale.

    Abraço, e continue escrevendo do jeito que escreves.

  • ray disse:

    eu me identifiquei com a sua história, na parte que vc diz que é gostoso conversar com alguém sem a intenção de beijar ou agarrar. É realmente muito bom viver esses momentos…

  • Riku disse:

    Caramba, que história fofa!

    A grande verdade é que mulheres naturais (que não fingem perfeição e tal) gostam mais de homens de verdade, não de caras que fazem tudo certinho e se fazem de perfeitos românticos.
    Acho uma boa conversa muito melhor do que uns amassos no primeiro encontro.

    Blog legal!

  • CÉLIA disse:

    eu amei a sua historia espero que a faça feliz, acho engraçado quando os homens acham as mulheres chatas mesmo sem conhecê-las, e no seu caso acabou cedendo por causa de uma foto.Eu estoui separada a 2 anos e estou procurando alguem especial, e a 2 anos estou teclando com um rapaz 15 anos mais novo que eu, agora decidimos nos encontrar, falamos em casamento e tudo.tomara que de certo, e como vc vou ficar na minha no primeiro encontro…se bem que ele espera que eu o ataque por ser mais experiente, mas eu vou resistir, contra a vontade mais vou, eu juro.

  • Maria Karolina disse:

    Oi! :)
    Achei esse Blog por acaso, enquanto procurava algum texto que explicasse de forma bem clara para uma adolescente doidinha como eu sobre como me comportar num primeiro encontro – coisa que ainda não estou acostumada.
    O texto não tinha nada a ver com o que procurava, no entanto, que história fofa! *-* Adorei!
    Desejo muitas felicidades para os dois! ^^
    Um abraço,
    Maria Karolina

  • Kerolainy disse:

    Comigo´foi difernte o cara deu um de palhaço na hora q nos ia comer e soutou um pum … Mas ele pediu descupas e depois de 2 meses ele me pidiu em casamento e depois de 9 meses nos nos separamos porque ele me jocava senpre na cara o q eu disse pra ele no primeiro encontro

  • Kerolainy disse:

    Mas gente se vs fizer igual a ele vs vao se sair super bem alias vc e bonito ta boa sorte na vida de vcs ta vcs formam um casal lindo mesmu

  • Maria disse:

    Olá, pelo mesmo motivo que alguns eu achei o blog por acaso procurando algumas dicas sobre relacionamento em fase inicial.
    Conheci um rapaz 4 anos mais novo pela internet e ficamos 1 mês conversando pelo telefone antes de ele tomar a iniciativa de nos conhecermos pessoalmente. Só ressalto que no dia que nos conhecemos pela internet eu o convidei para ir ao cinema, mas ele não aceitou (nem sempre funciona rsrsrs).
    Depois que nos conhecemos ele ainda demorou mais 1 mês para voltar a me ver, mas nos falávamos todos os dias pelo telefone. Nesse segundo encontro ficamos juntos, claro que, depois de horas conversando sobre todos os assuntos possíveis enquanto ele passeava de carro pela cidade (conheci bairros onde nunca tinha pensado em estar rsrs).
    Agora, apesar da lentidão inicial… ele se mostrou bem interessado em já iniciarmos o relacionamento sexual. Estou tentando adiar por motivos óbvios, medo de ser só isso e mais nada. Isso porque como você consigo ver uma pessoa especial que valerá a pena ser conquistada e pela qual eu sinto que a paixão não vai demorar muito para acontecer.
    Ele continua me ligando todos os dias… e isso é muito bom… principalmente porque nosso assunto nunca tem fim!
    Agora só estou na dúvida sobre dar um presente de natal para ele… e até quando seria bom adiar o sexo… mas acho que devo seguir meus instintos e me deixar levar por esses momentos tão bons. Se puder opinar seria legal. Obrigada
    Desejo à vocês toda felicidade – aliás, toda não, mas muita felicidade!!

    Um abraço, parabéns pelo post

  • Luanna Araújo disse:

    , muuito boa a história. gostei (: ‘

  • Patricia Silva disse:

    linda istoria

  • Tahys Ferreira disse:

    Amei,História Rica..

  • Kelly Cristina disse:

    adorei essa historia muito bacana

  • Karen Ribeiro disse:

    ai que história bonitinha *-*

  • Acassio Rodrigues da Silva disse:

    estou lendo hehe

  • Henrique Teixeira Dos Santos disse:

    HISTÓRIA SUPER LEGAL FELICIDADES PRA VCS.

Participe! Deixe sua opinião.


Para sua foto aparecer nos comentários:

1. Crie uma conta no www.gravatar.com;
2. Escolha uma foto de sua preferência;
3. Certifique-se de preencher o campo 'email' com o mesmo email cadastrado lá;
4. Pronto! Sua foto irá aparecer em diversos blogs que utilizam o gravatar nos comentários!

Antes de comentar aqui, lembre-se:

* Você é inteiramente responsável por suas palavras, pense direito sobre o que vai escrever.
* Lembre-se que pessoas como você escrevem esse blog, respeito é sempre bom.
* Os comentários dependem da aprovação dos administradores desse blog, isso pode levar algum tempo.
* Nossa intenção é interação com os leitores, suas palavras aqui não serão em vão.

Assim que terminar de escrever o comentário, de um sorriso e clique em "Comentar logo". :P

Adicione seu comentário abaixo, ou retorne para os posts. Você pode comentar subscribe to these comments via RSS.

Seja simpático. Mantenha-se limpo. Permaneça no tópico. Sem spam.

Vocêpode usar as tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>