Home » Coisas dela, Família

Diário de casal dos pais

25 Abril 2011 10 Comentários       Postado por Ele / Ela

Por: Ciça

Estou escrevendo, talvez como um desabafo ou porque estou sem saber o que mais posso fazer. Tenho 24 anos e saí de casa aos 18, quando fui pra universidade, bem longe. Meus dois irmãos mais velhos ficaram por lá, e hoje em dia só um deles mora com meus pais, o outro se mudou a trabalho pra uma cidade longe também. Fiquei mais amiga da minha mãe depois que deixei minha cidade natal, afinal de contas ela ficou muito deprimida, não só por eu ter ido pra longe, mas por ela e meu pai estarem se desentendendo com muita freqüência.

Sempre que falamos no telefone ela desabafa sobre as discussões dos dois. A maioria das vezes que discutem é porque ela disse algo que o magoou e ele ficou bravo com ela. Minha mãe se arrepende e pede mil desculpas, mas depois faz tudo de novo. Meu pai também não é nenhum santo não. Ele, às vezes, é meio grosseiro, sem paciência e guarda as coisas, aí quando explode, sai de baixo. Não tem sido nada fácil ouvir minha mãe falando do meu pai e vice-versa. Queria não me envolver, mas minha mãe não tem nenhuma amiga com quem dividir esse tipo de situação. Então só me resta ouvir e aconselhar, isso mesmo, uma filha dando conselhos de relacionamento para a mãe.

Neste ultimo final de semana estive na minha cidade, visitando meus pais e meu irmão. Quando cheguei lá tive uma surpresa. Os dois estavam brigados e chegaram a falar até em separação. Sentamos nós quatro (mesmo com um dos meus irmãos ausente) para conversar sobre a situação. Tentei manter a calma, mas acabei me emocionando ao dizer o quanto eles foram vitoriosos em educar os três filhos igualmente, inserindo em nossas vidas os mais preciosos valores, como respeito, honestidade, bondade. Nenhum de nós nunca usou drogas, não temos problemas de relacionamento, somos adultos, independentes, mas nunca deixamos nossa família de lado. O que está acontecendo com eles?

Sei que existem muitas discussões que eles tiveram no passado quando éramos pequenos. Meu pai bebia muito, a grana era curta, minha mãe deixou a carreira de lado pra cuidar de nós três. Existe culpa, arrependimento, mágoas. Mas não entendo por que eles não perdoam um ao outro. Se amam muito, quando estão em paz se dão muito bem, são um casal exemplo de companheirismo. Por que só agora, depois de mais de 20 anos juntos, ficam ressuscitando o passado, ou brigando por pequenas coisas que não importam de verdade?

Eu e meu irmão conversamos com eles, e eles toparam fazer de tudo pra ficaram juntos e felizes. Caso contrário vão acabar se separando, e sei que minha mãe vai ter muita dificuldade em uma situação dessas e meu pai vai ficar devastado com isso. Eles nasceram um pro outro, mesmo com tantas diferenças, se amam muito, e não queria que as diferenças os separassem. Nós três estamos preocupados com essa situação, estamos unidos pra enfrentar tudo isso, mas não queremos que o berço da nossa família desabe e traga discórdia e infelicidade. Falando assim, parece que eu sou contra separação. Não, em certos casos é a melhor solução, mas não no caso deles. Conheço bem o relacionamento deles, e sei que essa não é a melhor solução.

Casal velhinho
As vezes, o “para sempre” é realmente para sempre!

Estou muito triste porque não sei mais o que fazer pra que eles se entendam, e fiquem bem. Me sinto impotente e distante. Sei que meu irmão está numa situação difícil, no meio do fogo cruzado. E espero, de coração, que ele não se sinta sozinho. Ontem, antes de sair de casa, eu o abracei e disse que ele podia contar sempre comigo. Ele sabe disso.

O clima ainda está tenso lá em casa e sei que essa promessa deles de não brigarem mais por qualquer coisa ou não guardarem mágoas, pode demorar um pouco mais pra ser cumprida. Mas espero, pelo menos, que eles comecem a cumpri-la, de algum jeito, e voltem a ser aquele casal unido que eu me lembro.

Relacionamentos nem sempre são fáceis. As vezes, temos que lutar até fazer dar certo. A equipe do DdC está torcendo para que esse, em especial, dê certo. Problemas existem para todos e cabe a nós nos unirmos a quem amamos em busca de tentar resolvê-los.

Related Posts with Thumbnails
10 Comentários      Postado por Ele / Ela
­
­

10 Comentários »

  • Thaise Pregnolatto disse:

    Sabe, a origem desse problema deve ser de origem antropológica, porque todos nós em algum momento passamos por isso: nós não vemos nossos pais como seres humanos. Eles são essas figuras onipotentes, onipresentes, inabaláveis e estáticas.

    E eu digo isso especialmente pensando no que você relatou sobre terem sido educados tão bem, terem pais vencedores que apesar dos pesares conseguiram criar 3 filhos adultos e saudáveis. Acho que quanto maior o apoio e a base que nossos pais nos dão, menos a gente vê a humanidade deles.

    Como é difícil perceber que nosso pai não é superhomem e que nossa mãe é uma mulher com ânseios, dúvidas e problemas como os nossos.

    Eles não são figuras eternamente fortes e capazes de superar tudo como a gente acreditava quando éramos pequenos… porque apesar do problema ou da briga, era essa a impressão que eles davam, não era? Que eles são capazes de superar tudo.

    E agora você está aí se perguntando o que está errado dessa vez que é tão pequeno e parece insuperável…

    Se é que eu posso meter o bedelho na sua vida (já metendo…) e por ser filha também desses superpais que sempre superam tudo e que continuam sendo minha fortaleza e resolvendo vários dos MEUS pepinos até hoje (eu tenho 26 anos e estou a beira do casamento…) eu te digo: quanto antes você perceber que seu pai é um homem e sua mãe é uma mulher mais fácil vai ser de entender, conviver e resolver… Por que é até uma postura egoísta a gente esperar que eles sejam capazes de tudo simplesmente porque sempre foi assim…rs

    Eles provavelmente se resolvam – a geração dos nossos pais não encara a separação como algo tão natural como a gente. Eles estão acostumados a ficar um ao lado do outro custe o que custar. Mas é fundamental que os filhos sejam capazes de entender que, às vezes, a felicidade familiar não basta. Sua mãe provavelmente tem frustrações profissionais (a minha tbm largou uma carreira de sucesso parea cuidar full time da família) que acabam afetando sua vida pessoal (ela não tem nenhuma amiga…) e torra demais o saco do seu pai, reclama e ele que já está bem cansado de todos os outros problemas não aguenta e vira um grosso que você não reconhece nas suas memórias de infância.

    Eles são homens e mulheres querendo ser felizes com uma série de lacunas que a geração deles deixou passar sem se perguntar muito a respeito.

    De qualquer forma, você não pode fazer nada além de ficar tranquila e ajudá-los a ponderar – não em seu favor, que é o natural de todo filho querer que os pais de entendam de qq forma – mas com a consciência de que os dois são criaturas como você, eu ou qq estranho com quem vc cruza na rua buscando a felicidade. Juntos ou separados, depende só deles.

    Qual conselho você daria para a sua melhor amiga e seu melhor amigo?

    Todos nós temos as nossas dificuldades, nossos problemas, nossas amarguras…até nossos inabaláveis pais! Mas eu acredito que a felicidade a gente nunca encontra no outro, encontra na gente mesmo. E daí para querer (e conseguir) fazer o outro feliz é um passo…

  • Juliane disse:

    Na minha opinião esse casamento ja acabou, não adianta ficar vivendo de aparências, você mora longe, não convive mais o dia a dia, e sua mãe só reclama, pra que insitir em ser infeliz, a separação dói mas em muitas das vezes é a melhor solução, e não é por isso que sua família vai acabar, eles serão para sempre seus pais.

    você ja sabe qual a solução dos problemas, agora só tem que aceitar.

    =)

  • Thaise Pregnolatto disse:

    Não acho que a solução seja automática com a separação..simples e fácil assim….de jeito nenhum!

  • Juliane disse:

    Thaise a separação não é a solução automática, mas as vezes batemos tanto a cabeça, insistimos tanto em uma coisa que não vai dar certo, digo por experiência prórpia, minha mãe sofreu durante anos tentando salvar um casamento que não existia mais, se ela tivesse tomado uma decisão antes poderia ter preservado até mesmo um bom relacionamento entre eles, e olha que ela o amava e muito.

    mas, espero realmente que os pais mencionados no post, se acertem e que dê tudo certo e acima de tudo que sejam felizes!

  • Thaise Pregnolatto disse:

    Eu concordo com você. Acho que estar junto por estar junto não é solução de jeito nenhum. Só disse que não sabia se separar ia fazer automaticamente os problemas sumirem, sabe? Especialmente depois de tanto tempo… Não sei na verdade quanto eles poderiam ser piorados. Estou considerando que é uma outra época, uma outra geração… pensei na mãe dela que deixou a carreira pela família e de repente passar por um período tão marcado pela menopausa, síndrome do ninho vazio etc etc etc e sentir que tudo que ela fez foi em vão, sabe? No pai que provavelmente é dependente total da mãe que dedicou a vida toda a cuidar…dele. Claro que empurrar com a barriga não dá mesmo, você tem razão. Mas também não acredito na receita de bolo não… às vezes o que parece mais fácil e lógico pode piorar a situação de tal forma que as pessoas se arrependem e não podem voltar atrás…

  • verena disse:

    Acho que eles devem lutar para salvarem o casamento, entretanto se
    perceberem que não tem jeito, é melhor separar. Imagino o quanto é dificil para um filho lidar com essa situação…

    Minha mãe tbm gosta de ficar me contando quando briga com meu pai, por mto tempo fiquei até meio chateada com ele, mas hj eu tento entender, que ele é meu pai e marido dela. São relacionamentos diferentes.Então quando sua mãe desabafar, ouça e converse com ela, mas vc tem que pensar que eles dois vão decidi qual é a melhor solução.

    Afinal, vc é filha, e nunca vai querer que eles se separem.
    bjus

  • Juliane disse:

    Sim é verdade….acho que por causa da minha história julguei precipitadamente….mas de qualquer forma…eles precisam por os pesos na balança e decidir o que realmente vale mais a pena.

    =)

  • kel disse:

    Thaise Pregnolatto simplesmente adorei seu post!!!!

    Falou e disse!!!

    =)

    Passei por algo semelhante, mas envolvia traição paterna. Eu sabia do caso, resolvi nao me envolver. e nao falei nada pra minha mãe.
    Se sofri por isso? claro, qualquer decisão tem suas consequências.

    No final, meu pai foi sincero, revelou a situação, e ambos, sozinhos, conversaram, e ELES decidiram reconstruir a relação.

    Depois de um tempo, percebi q foi minha melhor escolha, porque eu não podia e nem devia julgar meu pai, e nem achar que estava enganando minha mãe. Relacionamentos são dificeis, sim. Meu olhar, na época foi que a relação de casal estava abalada, então, o CASAL deveria decidir…por isso, resolvi nao me envolver e me não me achar dona do que é certo ou errado.

    Acho que os motivos q vc colocou pelo casamento deles darem certo por 20 anos…injustos, e relembra-los disso…torturantes..porq ambos estão confusos…e sabem disso tudo…

    Acho melhor deixá-los decidir e dar tempo ao tempo…

  • Rafael R disse:

    Eu sempre fui da seguinte opinião: Família, cada um entende a sua. Então, apesar de querer opinar e seguir adiante com o que EU acho melhor, eu prefiro somente fazer uma coisa mais simples e eficaz que é PARABENIZAR a atitude da Ciça. Está cada dia mais difícil encontrar a serenidade que ela tem para conduzir isso nesse nosso mundo louco, ter a paciência e a dedicação de cuidar da sua família e, não só isso, fazer as vezes de “juiza de paz” não é pra qualquer um não, definitivamente.

    A gente, no final das contas, sabe bem pouco sobre isso. Mas essa atitude mais do que nobre de tentar ajudar, sem desespero, apenas com amor e carinho… é bem isso que o mundo, como um todo, mais precisa nos dias de hoje.

    Siga em frente. Vai dar tudo certo, querida.

  • Reinaldo Martins De Oliveira disse:

    Sou da moda antiga, tenho 50 anos,
    Só tenho filhas, estou ficando louco, com os modos a moda nova. (atual).
    23, 22, e 13 anos.

    a d 23 dorme casa namorado,

    O k deve fazer, para reprendela, ou atitude

Participe! Deixe sua opinião.


Para sua foto aparecer nos comentários:

1. Crie uma conta no www.gravatar.com;
2. Escolha uma foto de sua preferência;
3. Certifique-se de preencher o campo 'email' com o mesmo email cadastrado lá;
4. Pronto! Sua foto irá aparecer em diversos blogs que utilizam o gravatar nos comentários!

Antes de comentar aqui, lembre-se:

* Você é inteiramente responsável por suas palavras, pense direito sobre o que vai escrever.
* Lembre-se que pessoas como você escrevem esse blog, respeito é sempre bom.
* Os comentários dependem da aprovação dos administradores desse blog, isso pode levar algum tempo.
* Nossa intenção é interação com os leitores, suas palavras aqui não serão em vão.

Assim que terminar de escrever o comentário, de um sorriso e clique em "Comentar logo". :P

Adicione seu comentário abaixo, ou retorne para os posts. Você pode comentar subscribe to these comments via RSS.

Seja simpático. Mantenha-se limpo. Permaneça no tópico. Sem spam.

Vocêpode usar as tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>