Home » GLBT, Passeios

No escurinho do cinema

29 junho 2011 3 Comentários       Postado por Ele / Ela

Por: Rodrigo Marchon

Sexta-feria com cara de sábado, um bom dia pra passear, com uma melhor amiga então, sem palavras. Acordamos cedo, quase me atraso –como sempre- rodoviária. O bus vai seguindo caminho e não prestamos atenção, já conhecemos o trajeto de cor. Conversando, colocando papo em dia, temos muito que dividir, enfim… Em outra rodoviária desembarcamos, e vamos direto ao metrô, eu quis tirar foto, ela não deixou, primeira vez dela, rs, achou meio frio, se ficou com medo não disse nem demonstrou. Botafogo. Céu limpo. Praia. Fotos. Sol. Os caipiras de casaco, também não estava calor. Pão de Açúcar sempre gostoso. Shopping. Bora fazer o que mais gostamos: compras. O dia passa, almoçamos uma deliciosa macarronada, com direito a uma vista maravilhosa.

Cinema. Filme bom pra assistir não tem. – “Vamos embora?”, pergunta ela, – “Claro que não, vamos esperar, ele deve estar chegando.” Com 15 minutos de atraso ele chega, não temos muita opção do que assistir, mas mesmo assim a decisão é unânime, Cinema, não tem outra coisa pra fazer mesmo. Entramos na Sala um e os trailers já estavam passando, encontramos nossos lugares, nos acomodamos – Jô, eu e Thomaz -. Cochichos, conversas paralelas, ela não sai do celular (trocou umas duzentas mensagens durante o filme), ele procura minha mão (eu o ajudo). Carícia, carinhos, troca de olhar, o filme vai passando até que não me contento em só olhar, preciso experimentar o gostinho dele. O observo, ele não está prestando atenção em mim, seu olhar está fixo na tela. Leva minha mão em seu queixo e o viro em minha direção, ele não resiste, chego mais perto, um selinho, simples e delicado, e o libero pra voltar a ver o filme. Assim, foi pouco, eu queria mais. Mas dentro do cinema?

Se estivéssemos mais atrás, estamos na segunda fileira, a claridade acima de nós é enorme. Passados uns cinco minutos, não resisto e o beijo novamente, agora um pouco mais demorado. As mãos suam, os carinhos continuam, ele deita em meu ombro, (por incrível que pareça, consigo prestar atenção ao filme), outro beijo. Não consigo parar de pensar no que os outros estão prestando atenção, será que nos observam e ficam em silêncio? Estão aos cochichos? Para Jô é normal, ela nem percebe nossos beijos e carinhos, não liga pro que estamos fazendo, também não estamos passando dos limites. Somos apenas um casal de namorados curtindo um cinema, super natural. Mesmo assim, fico preocupado, não conhecemos quem nos rodeia, pode ser um homofóbico, um valentão, alguém que não aceite o que está vendo.

Beijo gay
Dizem que é incomum, até nos dias de hoje… será mesmo?

Mais uns beijos são trocados, o filme acaba, saímos do shopping, preciso ir embora. Por sorte ele pega o mesmo ônibus. Uma senhora bem que tentou atrapalhar, mas… O beijei novamente, rs. Infelizmente chega o ponto e ele tem que ir, um último beijo e ele desce. Eu e ela seguimos pra rodoviária, está quase no nosso horário. A viagem de volta é calma, dormimos ouvindo músicas do celular dela. Pronto, lanche, casa, pernas cansadas, uma boa noite de sono, sábado dia de trabalho.

Bem, é uma situação delicada pra mim, carinho em público pode chocar alguns e pra outros não ser nada de mais. No cinema é mais discreto por estar mal iluminado? Talvez. E no ônibus em plena luz do dia? Ok, não foi nenhum beijo de cinema, mas mesmo assim nossos lábios se encontraram em público. O importante é que tudo correu bem – não apanhei risos -, me divertir muito, e ainda consegui uns beijos de um carinha lindo.

Esse texto faz parte da nova categoria de postagens do Diário de Casal, a GLBT. Caso queira fazer parte disso, saiba como participar e não deixe pra depois!

Related Posts with Thumbnails
3 Comentários      Postado por Ele / Ela
­
­

3 Comentários »

  • kel disse:

    Adorei o post…
    Estava demorando ter um assim…

    Só achei q o título comum demais..rsrs

    Bom, sou da filosofia: “Cuide bem do seu amor, seja quem for”

    Bela história

  • Juliane disse:

    A sociedade moralista em que vivemos é ridícula! É um absurdo pessoas que se gostam não poderem expressar seus sentimentos publicamente. Eu como operadora do direito, lamento ter que presenciar essas atitudes tiranas, não concordar com atitudes de outras pessoas, não te dá o direito de reprimi-las. Movimento pelo direito à liberdade já!

    Parabéns pelo post.

    =)

  • Rodrigo disse:

    Bem, no escurinho cinema é maravilhoso, esse finds vou repetir a dose! Vamos ver no que vai dar, rsrsrs… Kel e Juliane, brigadim!

Participe! Deixe sua opinião.


Para sua foto aparecer nos comentários:

1. Crie uma conta no www.gravatar.com;
2. Escolha uma foto de sua preferência;
3. Certifique-se de preencher o campo 'email' com o mesmo email cadastrado lá;
4. Pronto! Sua foto irá aparecer em diversos blogs que utilizam o gravatar nos comentários!

Antes de comentar aqui, lembre-se:

* Você é inteiramente responsável por suas palavras, pense direito sobre o que vai escrever.
* Lembre-se que pessoas como você escrevem esse blog, respeito é sempre bom.
* Os comentários dependem da aprovação dos administradores desse blog, isso pode levar algum tempo.
* Nossa intenção é interação com os leitores, suas palavras aqui não serão em vão.

Assim que terminar de escrever o comentário, de um sorriso e clique em "Comentar logo". :P

Adicione seu comentário abaixo, ou retorne para os posts. Você pode comentar subscribe to these comments via RSS.

Seja simpático. Mantenha-se limpo. Permaneça no tópico. Sem spam.

Vocêpode usar as tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>