Home » Artigos, Coisas dela

Quando o fim é a melhor solução

1 agosto 2011 1 Comentário       Postado por Mayara Godoy

Às vezes, a única solução para um relacionamento é o término. É difícil admitir e pode soar até um pouco radical, já que temos aquela ideia romântica de que relacionamentos têm de durar para sempre. Na verdade, eles não têm de ser eternos. Isso é algo em que a gente quer acreditar. Quando duram para sempre, na minha opinião, é apenas por uma combinação de sorte com muito esforço de ambas as partes.

Seguindo esse raciocínio, seria óbvio afirmarmos que, quando esse momento fatal chega, as pessoas fazem o que tem de ser feito: terminam o relacionamento, e seguem adiante, certo? Bem, seria… se nós, seres humanos, agíssemos apenas com lógica, e não com sentimento.

Terminar um relacionamento nunca é fácil, por mais falido que esteja. Dá muito trabalho. E é doloroso. Quanto mais longo ele for, então, pior. Sempre tem muito choro, sofrimento, hesitação.

Além disso, geralmente se pensa nos fatores externos: as famílias e os amigos já estão envolvidos, acostumados a ver o casal junto, e todo mundo sempre tenta consolar. “Aposto que vocês vão voltar! Vocês se amam, isso é só uma fase”, dizem, simplesmente por não saberem o que dizer.

Porém, quanto mais se adia a “providência” (se é que podemos chamar assim), mais difícil fica. Talvez, por isso, tanta gente prefira ir “empurrando com a barriga”. Talvez por isso, por dependência e também pelo medo da solidão. Aí, inevitavelmente, vem à cabeça aquela fantasmagórica imagem do domingo à tarde solitário, da dificuldade em retomar uma vida social sendo solteiro, da dor que será ter de falar no assunto sempre que alguém perguntar – e alguém sempre pergunta. O que fazemos, então? Resolvemos esperar mais um pouco.

O que não se leva em consideração, muitas vezes, nesse momento, é que, quanto mais permanece a convivência desarmônica, mais brigas ocorrem, mais o respeito acaba, mais ressentimentos são gerados. E uma relação que poderia terminar de maneira civilizada acaba gerando apenas rancor.

Por isso, na minha concepção, quando se sabe que a relação não tem mais jeito, que com aquela pessoa não há perspectivas ou possibilidades de futuro, não adianta perder tempo adiando o inevitável. É melhor para todo mundo que, com franqueza e respeito, cada um siga o seu caminho.

Uma relação tóxica que se prolonga só diminui as chances de ambos serem felizes, seja sozinhos ou com outras pessoas. É necessário, portanto, aceitar o fim, quando ele chega. And move on.

Related Posts with Thumbnails
1 Comentário      Postado por Mayara Godoy
­
­

1 Comentário »

  • Mariana disse:

    E é tão comum prolongar todo esse sofrimento… Mas talvez seja o tempo que a pessoa precisa pra digerir o “the end”, que dói muito. Parece que precisa “tentar até a última gota” pra se convencer que nada mais pode ser feito, e assim o sofrimento vai se prolongando, acho que até cansar de doer :/
    Mas eu acho que quando é preciso fazer muito esforço pra relação dar certo, já é sinal de que as coisas não vão bem.

Participe! Deixe sua opinião.


Para sua foto aparecer nos comentários:

1. Crie uma conta no www.gravatar.com;
2. Escolha uma foto de sua preferência;
3. Certifique-se de preencher o campo 'email' com o mesmo email cadastrado lá;
4. Pronto! Sua foto irá aparecer em diversos blogs que utilizam o gravatar nos comentários!

Antes de comentar aqui, lembre-se:

* Você é inteiramente responsável por suas palavras, pense direito sobre o que vai escrever.
* Lembre-se que pessoas como você escrevem esse blog, respeito é sempre bom.
* Os comentários dependem da aprovação dos administradores desse blog, isso pode levar algum tempo.
* Nossa intenção é interação com os leitores, suas palavras aqui não serão em vão.

Assim que terminar de escrever o comentário, de um sorriso e clique em "Comentar logo". :P

Adicione seu comentário abaixo, ou retorne para os posts. Você pode comentar subscribe to these comments via RSS.

Seja simpático. Mantenha-se limpo. Permaneça no tópico. Sem spam.

Vocêpode usar as tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>