Home » Especial

Sobre drogas e relacionamentos – Todo cuidado é pouco

10 novembro 2010 21 Comentários       Postado por Ele / Ela

Por: M*

Fiquei pensando muito em como abordar esse assunto. Mas como todos somos jovens e descolados, vamos entender tudo o que for dito aqui. Não é, crianças? rs

Aqui, quero falar sobre a minha experiência na combinação namoro+drogas, que, no início pode parecer divertido e uma alternativa para a tão procurada fuga da rotina, mas que, no final das contas, pode ser um tiro no pé.

Tudo começou há mais ou menos um ano, quando eu tinha terminado um relacionamento de 3 anos com um cara bacana, mas que não estava rolando mais. Ele se esforçou, veio atrás de mim, e resolvemos ”tentar mais uma vez”. Numa dessas tentadas, fomos ao stand-up do Rafinha Bastos e, resolvemos que fumaríamos um baseado, para que a noite ficasse mais divertida e mais risonha… Ele fez uns contatos com uns amigos, e conseguiu dois. Fumamos um na ida para o show e um na volta. Algumas coisas, que não convêm contar aqui, aconteceram, e eu jurei que nunca mais colocaria um baseado na boca.

Aconteceram mais alguns relacionamentos completamente fracassados, e dentre eles, com um cara que participa da doutrina do Santo Daime (é.. aquele chá maluco que é alucinógeno, que o cartunista Glauco tomava). É uma droga, legalizada para fins religiosos, mas é uma droga. E como qualquer droga, isso provoca alterações no comportamento da pessoa. O cara começou a ficar grosseiro, a nem ligar pra mim… Até que, na sexta-feira de carnaval, ele terminou comigo. Fiquei na fossa por dois dias, até viajar para o interior e curtir o carnaval com meus amigos mais próximos.

Mas o meu contato mais próximo com as drogas (quando falo drogas, refiro-me única e exclusivamente à maconha) começou mais ou menos em julho deste ano, com o meu ex (sim, ex) namorado. Ele curte fumar. Eu, apesar de ter passado por uns perrengues antes, resolvi que queria fumar pra ver qualé que era (já que dá primeira vez, não deu barato nenhum). Um belo dia, fumamos juntos, e foi mega divertido! Demos muitas risadas, falamos bobagens, era a fuga de rotina perfeita! Quando a brisa passava, parecia que nós estávamos melhor em sintonia um com o outro… Uma maravilha! Ele mora na grande São Paulo e; eu, na capital. Então sempre que eu ia para a casa dele, acabávamos fumando juntos, e sempre era muito gostoso.

Casal fumando maconha
No começo, tudo é bom. Mas depois…

Mas uma coisa que eu achava que era lenda, e que eu descobri na própria pele que não é, é que o comportamento das pessoas muda sim por causa da droga. E eu sempre fui muito cética quanto a isso. Mas o fato é que chegou um momento que o papo central era a maconha, tudo girava em torno disso. Eu curtia fumar um de vez em quando, a sensação é maravilhosa, não vou mentir… Mas nunca foi o meu ponto principal, o meu centro. Nunca foi a minha prioridade. E quando eu queria estar com ele, era por ele, e não pela maconha. Mas ele começou a se distanciar de mim. Não posso atribuir isso apenas à maconha, existem outros fatores, que eu desconheço. Começou a ser grosso, a ser distante, a me tratar mal e não me dar atenção. As brigas foram ficando cada vez mais frequentes (3 ou 4 vezes por semana), e quando nos viamos, não via nele o brilho nos olhos que eu via antes. Mas estávamos lá… fumando o nosso baseado e rindo sem motivo. Por causa da tal ‘larica’ eu fui engordando sem saber o porquê. E acabei me distanciando da minha família. Chegava em casa e não ficava mais com os meus pais, não tinha vontade de ter ninguém por perto, só ele. Sem perceber o quanto aquilo estava me fazendo mal. Eu só pensava nas sensações boas que aquilo me trazia. Sem me lembrar de tantas outras sensações boas que temos, sem precisar disso. Parece papo de ex-drogado careta, mas não é. É aquilo que eu mesma passei.

Aconteceu que os meus pais descobriram o ocorrido. Naturalmente, ficaram chateados. Mas não me forçaram a nada. Eu tinha a opção do que eu queria, e, visto o mal que aquilo me faria mais pra frente e todas as grosseirias e indiferenças com que ele estava me tratando, resolvi, com muita dor, me afastar dele. E fiz isso. Acredito que só o tempo para me dizer se agi certo, e para mostrar a ele tudo aquilo de errado que eu cansei de apontar e ele não enxergava.

Escrevi este post para que as pessoas fiquem espertas. Essas coisas alucinógenas dão um barato muito bom, e é super legal para sair da rotina, como eu já disse. Mas tem que tomar muito cuidado com a dose e a frequencia. DE MANEIRA ALGUMA ESTOU FAZENDO APOLOGIA AO USO DE DROGAS. Mas sei que muita gente curte, mas não se dá conta, a longo prazo, do que pode acontecer. Só quero mostrar as consequencias que isso tudo pode causar a um relacionamento, E ninguém quer casar com um principe encantado e depois de uns anos, acordar com o Ozzy Osbourne na cama!

Prestem atenção ao menor sinal! Não deixem que as coisas aconteçam como eu deixei!

(Agradeço à Equipe do DdC por me deixar compartilhar essa experiência tão pessoal!)

Se tiver algum comentário a fazer sobre isso e prefere não se identificar, basta enviar diretamente pra gente através da página de contato. O DdC acredita num mundo saudável onde as drogas não farão parte do futuro das pessoas. E a autora desse post preferiu não se identificar, por motivos óbvios.

Related Posts with Thumbnails
21 Comentários      Postado por Ele / Ela
­
­

21 Comentários »

  • Picles disse:

    Há muitas maneiras de se enganar com as sensações que uma pessoa causa em vc, essa é só uma delas. A partir do momento que o seu bem estar deixa de ser retilíneo e passa a funcionar como pêndulo é bom ficar ligado. Vc depender de uma coisa/pessoa/momento pra se sentir bem é pq essa coisa/pessoa/momento não agrega de fato plenitude pra vc. Estar pleno é se manter feliz ou satisfeito apesar de (como ja disse Clarice). Viver, apesar de. Amar, apesar de. Mas não o contrário: sofrer, apesar de amar, apesar de ter bons momentos. O equilíbrio está em encontrar em si mesmo (e compartilhar isto com as pessoas certas) o motivo de se sentir bem, apesar de não ser possível em todos os momentos. Só não deixe que as posições se invertam e você só se sinta bem se puder contar com fatores externos.
    Amor próprio é isso: ser ol seu próprio motivo de felicidade.

  • E disse:

    Pois é, M. Esse é o problema das drogas. Quando você se dá conta, já está envolvido até o pescoço. Que bom que você foi e consciente pra poder sair disso, e acima de tudo, que bom que teve uma família que te apoiou. Siga em frente, busque novos caminhos, a vida tem muito mais a oferecer do que uma suave brisa… Fique com Deus!

  • Jonas disse:

    O que? seu namorado começou a ficar grosseiro e a não te desejar tanto por causa da maconha?

    Olha eu fumo a 8 anos, sempre fumei com minhas 6 namoradas e não era pra deixa a gente risonho ou falar besteiras. Isso é opinião de iniciante. Era para assistirmos um filme e prestar atenção em coisas q não prestavamos, para nosssas conversas ficarem mais profundas ainda(sim a maconha faz isso) e para potencializar as sensações do sexo.

    Eu acho que o álcool sim provoca mais alterações de humor e atitude do que a maconha. E ninguem fala disso porque todo mundo vai pro barzinho chapar o globo, dirigir locão e ainda quando chega em casa pode até broxar.

    Não nego que eu bebo com minha namorada e o sexo fica com uma pegada muito mais violenta(no bom sentido) e adoramos isso.

    Mas please, é igual um jovem de 18 anos saber o que é beber álcool. Maconha é uma droga sim, mas é uma droga de elevação de espírito e atitude. De reflexão e ação.

    Pergunta lá pros Holandeses o que eles tem a dizer da maconha. Eles sim tem propriedade para falar.

  • Jonas disse:

    E proponho um desafio: Quem falar que maconha faz mal, pare de beber também pois é uma droga de nível igual(se não maior). A única diferença para a sociedade é que uma é legalizada e outra não.

    Hipocrisia da peste…

  • Diego Fávero disse:

    Excelente texto e coragem de abordar esse assunto que, com certeza, deve afetar muitos relacionamentos.

  • Renan disse:

    Lição da história: nunca quebre uma promessa!

  • Dexter disse:

    Hmmmmmm
    Bom, primeiramente, meus parabéns por ter tido coragem de expor uma experiencia delicada como essa assim abertamente.
    Após ler o seu texto eu fikei pensando sobre o assunto e relacionando tanto a amigos q fumam, qto com alguns relacionamentos passados meus q envolveram o uso de alguma droga, principalemnte a maconha, pra mim, o seu caso parece meio deslocado, sei lá, nunca tive esse tipo de problema, nem conheço pessoas q tiveram.
    Claro que alguns relacionamentos acabaram, mas meu, me cite algm q não acabou por cansar de um relacionamento ou mesmo não sentir mais akele desejo pelo outro…, isso chama-se desgaste, sinceramente acho (e por favor não se ofenda) q o cara simplesmente não estava mais afim de vc, keria fikar na dele vendo televisão, lendo alguma coisa, ou q seja fumando um baseado e não sabia como dizer isso, mas dae a jogar a culpa no cigarro acho mta coisa não?
    Qualquer pessoa já passou pelo fato de querer terminar com algm e não saber como fazê-lo, e essas msm pessoas vão te dizer q fazer pouco caso, não dar atenção, e ateh msm se afastar na cama, são bons jeitos de “passar o recado” ao outro.
    As pessoas por uso prolongado tendem a ser mais introspectivas e td mais, fikar “viajando” ou divagando sobre assuntos aleatórios, mas oq faz vc não kerer conversar com uma pessoa, ou aceitar situações (jah q brigas derivam de pontos de vista diferentes, fortemente defendidos) não é a pessoa estar fumando maconha, ou bebendo pinga, ou tomando lsd, ou qq coisa, e sim o interesse q ela tem em conversar com vc e nos assuntos q vc aborda…
    Se o caso fosse a maconha (temida erva demoniaca do inferno XXX), eu acredito q vc teria tido problemas desde o começo do relacionamento, já q vc disse q “…com o meu ex (sim, ex) namorado. Ele curte fumar.”, então ele já fumava antes, não sofreu a “mutação licantrópica da maconha”…
    Acho q vc pode ter relacionado um problema do relacionamento ou da vida com uma coisa, poderia ter sido qq coisa, as pessoas fazem isso, culpam as coisas, situações, pessoas e até a si mesmas quando algo dá errado…
    Enfim, já me extendi mto, espero não ter ofendido ngm, mas acredite, seu texto acabou soando meio preconceituoso, e qq “maconheiro” por aí ia fikar meio revoltado com oq disse.
    Q comecem as crucificações, vamos ver qtas pessoas me chamam de “maconheiro de merda” até o fim do dia…

  • Blessa.! disse:

    Eu sou de uma unica opinião, enquanto fizer o bem não há problema algum, mas quando isso abalar a sua paz e a paz da sua casa..corte, na mesma hora, independente de dor…
    Uma menção ao comentário do leitor Jonas, meu caro, drogas causam efeitos completamente diferentes dependendo de cada ser humano, essas reações são diferentes de pessoa pra pessoa, caso não acredite faça a experiência com ratos..vc vai apenas afirmar o que eu estou falando, então, não comente sem saber a reação da outra pessoa OK??

  • lidiamanoel disse:

    Esse é um assunto realmente polêmico;mas muito sério…
    A MINHA opinião é,e sempre foi, de que qualquer artifício que se possa usar pra ‘alterar a cosciência’ pode ser uma armadilha;tanto faz ser maconha,farinha,alcool(esse ainda pior,por ser lícito,e usado irresponsavelmente em qualquer ocasião…).Pode te fazer dizer ou tomar atitudes das quais possa se arrepender depois-tarde demais.A questão do isolamento da família/convívio social, eu vejo como uma confissão/fuga:”Estou fazendo ‘algo’ que possam desaprovar,por isso, mantenho-me distante”.
    Por outro lado,acredito que possa falar com certo conhecimento de causa:Tenho um familiar que INFELIZMENTE caiu na arapuca de q fumar um baseado vez ou outra não tem mal algum,e da mesma maneira que a maior parte das pessoas que flerta com as drogas pensam,ele não soube distinguir o tênue limite de ‘uma brisa’ e o abismo que a droga pode te jogar.E pra sair dele amigs…
    Não estou dizendo q é uma regra;como toda família se envolveu no assunto;tomei conhecimento de q cd um reaje de uma forma ao estímulo de determinadas substâncias;q existe uma ‘tendência’ genética,q algumas pessoas têm maior tendência que outras de se tornarem dependentes crônicos, e sei tbém q em pessoas com essa tendência, qquer substância pode agir como um estopim que deflagra uma bomba.Esse rapaz lindo,querido por todos nós,vaidoso,responsável,prestes a concluir uma faculdade,estava na rua como indigente(e não é novela:É muito pior!!!),e lembrando aos que me sensuram:ele começou com a inofensiva maconha. Hoje ‘parou’ sua vida e está travando uma luta,da qual mtas vezes ele tem vontade de desistir,contra a dependência química.Portanto diante da minha posição tão radical contra essas DROGAS,posso dizer que sou careta.
    Como mto bem disse a moça do relato,há que se pensar a longo prazo,e pensando bem,não vale a pena correr o risco!!!
    =)

  • Lolz00r disse:

    Sem ofensas mas vc só namorou cara que não presta hein!? pqp…
    Deplorável esse negócio de usar droga (bebida, maconha, tanto faz) pra dar um escapadinha da realidade, encare a merda como ela é! P****!

  • João Paulo disse:

    É concordo com o cara ali, não coloca culpa na maconha se o cara não te queria mais. E se vc fuma/fumava pra “dar uma escapadinha da realidade” sinto muito vc não soube aproveitar os beneficios e não soube abrir sua mente pra enxergar a solução.

  • alicia lopes de amarantes disse:

    vc tem coragem gostei muito da sua historia

  • Maris disse:

    O problema de tudo é o excesso ou a mente fechada e sua intenção, fumo maconha para elevação de espirito, para abertura da mente, a intenção e os seus pensamentos é que mandam nas suas sensações, também sinto muito se sua experiência foi assim, talvez demore um pouco para as pessoas conseguirem abrir a mente e fazerem do uso de qualquer substancia alucinógena sem excesso para o bem, eu tbm tomei o chá de maluco que vc sitou e me trouxe muiiiiitas coisas boas tbm, evolução, elevação, pense bem no que anda passando pela sua cabeça… As vezes esse mal está dentro de vc, abra seu coração nada é tão ruim assim.

  • Rafael R disse:

    Maris, aprovei seu comentário apenas pra dizer uma coisa: Não é porque você faz uso eventualmente e pra você as coisas vão bem que o resto do mundo pode, deve e PRECISA ser assim. As pessoas são diferentes, felizmente, e nem tudo que agrada um agradaria outro. Não acho que faz bem o uso de qualquer substância química (incluindo álcool) mas prefiro deixar o direito da escolha para cada um ao invés de sair por ai incentivando ou boicotando o direito dos outros. Pense nisso, com sua mente aberta. ;)

  • everton disse:

    isso ai jonas! faço de suas palavras as minhas! uma bela visão da situação e argumentos firmes que mostra sua lucidez com o assunto!

  • gelsa disse:

    AQUI E UMA MAE DESESPERADA VENDO UMA FILHA LINDA TALENTOSA, CAINDO NO VICIO, E OS AMIGOS ESTAO TODOS DANDO FORÇA, MAS NO FINAL A MACONHA VAI FICAR SEM GRAÇA , AI VEM O PERIGO, NAO SEI LIDAR COM ISSO. VCS JOVENS CURTEM COM A VIDA AS MAES MORREM TODO DIA UM POUQUINHO.

  • Camila disse:

    Concordo com Rafael, afinal Maris, não é porque você se sente melhor usando essas drogas que as outras pessoas também vão se sentir como você.
    Eu não sou a favor de nenhuma droga nem mesmo o álcool, todas elas mudam o comportamento de muitas pessoas. Como disse Jonas que fica com “a pegada mais violenta no sexo” em uma hora de express + álcool, ele não responderá por essas “pegada violenta”

    Já passei pelo problema mencionado pela garota do post e entendo bem o que ela passou, usei drogas para ser aceita em grupos de amigos e foram mais de 3 anos assim. e todos os relacionamentos regados a drogas, festas e sem rumo de vida.
    Concordo que a maconha deixa você mais esperto, aborda assuntos mais profundos, como disse jonas. realmente era assim. mas nem tudo são flores. A pessoa fica violenta com qualquer tipo de droga (inclusive o álcool).

    Ninguém aqui é criança e sabe muito bem a onde isso pode levar, sem contar os malefícios que trazem a você.

    Gelsa, converse com seu filho, acredito que ele não é uma criança em idade para muitos se deixam influenciar por mas companhias, o melhor a fazer é conversar com ele e tentar afastar essas pessoas dele, saia com ele, faça com que ele veja em você uma amiga-mãe, e saia com ele, a vida não é só drogas e diversão. se liga galera!

  • Matheus 16 anos disse:

    ou seja, fumar maconha faz seu namorado não te dar bola, m as, por que ninguem fala que o alcool faz teu namorado te  bater, provocar um acidente e matar?

  • Diego disse:

    O Matheus 16 anos. disse tudo apesar de sua pouca idade, concordo plenamente com ele, então você acha que não deve arrumar um namorado maconheiro deve arrumar um alcoólatra??Digo e repito as pessoas de hoje em dia tem que sair da ignorância, e entender que a maconha não é e nunca foi uma droga, é uma planta como outra qualquer, que quando “usada”, nós mostra tudo como realmente é, se a maconha fosse liberada, hoje o Brasil de Cabral não seria como é, e só pra citar, sou casado a quase 5 anos, eu e minha esposa fumamos maconha no minimo 3 vezes por semana desde quando eramos namorados, para sair da rotina, temos graças a Deus uma vida muito boa, aonde não nos falta nada, temos bons empregos, ótima qualidade de vida muito conforto, somos muito felizes, em nenhuma momento eu ou ela, nos tratamos mal, ao contrário é raro as vezes que brigamos, eu acho que o problema do seu relacionamento não estava na maconha, estava em vocês, não coloque a culpe em uma planta se você não foi capaz de ter um bom relacionamento, garanto que em muitos casos aonde não tem maconha envolvida ocorre o mesmo que ocorreu com vc, então deixe de ser sensacionalista e seja mais inteligente.

  • Luiz disse:

    O uso de álcool, maconha ou outra droga é na verdade uma fuga. Quanto maior a frequência de uso, maior a fuga. E fugir não resolve o problema.

  • Amanda disse:

    Sei que esse post é antigo, mais estou passando por isso.
    Eu fumo maconha, mais achava mais legal fumar de vez enquando, ja meu namorado usa todo santo dia, uns tres a mais baseados por dia
    E o dinheiro que ele gasta com isso ele poderia gastar com o futuro dele, ou com a gente.
    E ta sendo muito dificil. Nem diminuir ele consegue.
    Faz quase 3 anos que a gente ta junto, eu amo ele demais.
    Mais to vendo o tempo passar pra gente e nada mudar .

Participe! Deixe sua opinião.


Para sua foto aparecer nos comentários:

1. Crie uma conta no www.gravatar.com;
2. Escolha uma foto de sua preferência;
3. Certifique-se de preencher o campo 'email' com o mesmo email cadastrado lá;
4. Pronto! Sua foto irá aparecer em diversos blogs que utilizam o gravatar nos comentários!

Antes de comentar aqui, lembre-se:

* Você é inteiramente responsável por suas palavras, pense direito sobre o que vai escrever.
* Lembre-se que pessoas como você escrevem esse blog, respeito é sempre bom.
* Os comentários dependem da aprovação dos administradores desse blog, isso pode levar algum tempo.
* Nossa intenção é interação com os leitores, suas palavras aqui não serão em vão.

Assim que terminar de escrever o comentário, de um sorriso e clique em "Comentar logo". :P

Adicione seu comentário abaixo, ou retorne para os posts. Você pode comentar subscribe to these comments via RSS.

Seja simpático. Mantenha-se limpo. Permaneça no tópico. Sem spam.

Vocêpode usar as tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>